.

.
Página de doutrina Batista-Calvinista. Cremos na inspiração divina, na inerrância e infalibilidade das Escrituras Sagradas; e de que Deus se manifestou em plenitude no seu Filho Amado Jesus Cristo, nosso Senhor e Salvador, o qual é a Segunda Pessoa da Tri-unidade Santa
CLIQUE, NO TÍTULO DE CADA UMA DAS POSTAGENS, PARA ACESSAR O ÁUDIO DO SERMÃO OU ESTUDO

terça-feira, 23 de setembro de 2008

NENHUMA CONDENAÇÃO HÁ...

Pr. Luiz Carlos Tibúrcio


O texto base para esta noite é:
Romanos 8.1: "Portanto, agora nenhuma condenação há para os que estão em Cristo Jesus, que não andam segundo a carne, mas segundo o Espírito".
Romanos 1.18: "Porque do céu se manifesta a ira de Deus sobre toda a impiedade e injustiça dos homens, que detêm a verdade em injustiça".
- Deus manifesta a Sua ira! Lemos nas Escrituras sobre o amor de Deus, sobre a misericórdia, a graça e a compaixão de Deus. Mas aqui, lemos sobre a ira de Deus sobre toda a impiedade.
- Impiedade é a prática daquilo que não é justo, ou seja, injustiça.
Versículo 19: "Porquanto o que de Deus se pode conhecer neles se manifesta, porque Deus lho manifestou. Porque as suas coisas invisíveis, desde a criação do mundo, tanto o seu eterno poder, como a sua divindade, se entendem, e claramente se vêem pelas coisas que estão criadas, para que eles fiquem inescusáveis. ".
- Deus manifesta a Sua ira contra a injustiça, contra o pecado.
- Tudo dá testemunho da bondade de Deus. Portanto, o homem devia reverenciá-lO.
- O poder e a justiça de Deus são manifestos pelas coisas criadas para que ninguém diga: "Não vi o poder de Deus". Estas pessoas são indesculpáveis diante de Deus, pois Ele se manifestou a todos os homens.
Versículo 21: "Porquanto, tendo conhecido a Deus, não o glorificaram como Deus, nem lhe deram graças, antes em seus discursos se desvaneceram, e o seu coração insensato se obscureceu".
- Os homens não deram a Deus a glória devida; mesmo diante de todo o Seu poder, suas mentes criaram fantasias: uns criaram imagens de homens, outros de animais e disseram: "Este é o meu deus!". Que loucura, meus irmãos!
1 Coríntios 6.10: "Não erreis: nem os devassos, nem os idólatras, nem os adúlteros, nem os efeminados, nem os sodomitas, nem os ladrões, nem os avarentos, nem os bêbados, nem os maldizentes, nem os roubadores herdarão o reino de Deus. E é o que alguns têm sido...".
- E é o que alguns de vocês foram! Deus nos chamou para uma mudança de vida, para uma nova vida em Cristo nosso Senhor. Ele nos transformou, libertando-nos do que éramos, daquilo que fomos um dia.
"...mas haveis sido lavados, mas haveis sido santificados, mas haveis sido justificados em nome do Senhor Jesus, e pelo Espírito do nosso Deus".
- Deus nos chamou quando estávamos em pecado. Mas Ele não nos chamou para vivermos em pecado, pois nos lavou, santificou, justificou para uma nova vida.
- Deus nos chamou para servi-lO, abandonando a antiga vida de pecados para vivermos em santidade.
Lucas 18.10: "Dois homens subiram ao templo, para orar; um, fariseu, e o outro, publicano. O fariseu, estando em pé, orava consigo desta maneira: Ó Deus, graças te dou porque não sou como os demais homens, roubadores, injustos e adúlteros; nem ainda como este publicano. Jejuo duas vezes na semana, e dou os dízimos de tudo quanto possuo. O publicano, porém, estando em pé, de longe, nem ainda queria levantar os olhos ao céu, mas batia no peito, dizendo: Ó Deus, tem misericórdia de mim, pecador! Digo-vos que este desceu justificado para sua casa, e não aquele".
- O Senhor conta-nos uma parábola em que dois homens oravam no Templo. Um dizia: Senhor, como sou santo! Não sou como os homens comuns. O outro dizia: Tem misericórdia de mim, Senhor!
- Aquele que reconheceu os seus pecados, esse saiu justificado. Porque Cristo veio para os pecadores, para dar o perdão ao arrependido.
- Agora não há mais condenação para os que estão em Cristo Jesus. Agora, meus irmãos! Não amanhã, ou depois de amanhã. Mas agora! Contudo, aqueles que não reconhecem Jesus Cristo como Senhor e Salvador de suas vidas JÁ estão sob a condenção e a ira de Deus.
Ezequiel 18.4: "Eis que todas as almas são minhas; como o é a alma do pai, assim também a alma do filho é minha: a alma que pecar, essa morrerá".
- Nós pertencemos ao Senhor. Todos, quer servos, quer não, porque Ele nos criou.
- Não há crime sem lei que o defina como tal. E se há um crime e uma lei, há uma punição, uma sentença. Deus decretou que o pecado é crime, e a sentença para aquele que pecar é a morte!
- O pecado é transgressão da lei, a desobediência à lei.
Deuteronômio 21.22: "Quando também em alguém houver pecado, digno do juízo de morte, e for morto, e o pendurares num madeiro,O seu cadáver não permanecerá no madeiro, mas certamente o enterrarás no mesmo dia; porquanto o pendurado é maldito de Deus; assim não contaminarás a tua terra, que o Senhor teu Deus te dá em herança".
- Deus fez um decreto, no qual o cadáver pendurado no madeiro teria de ser enterrado.
Deuteronômio 27.15: "Maldito o homem que fizer imagem de escultura, ou de fundição, abominação ao Senhor, obra da mão do artífice, e a puser em um lugar escondido. E todo o povo, respondendo, dirá: Amém".
- maldito o que fizer uma imagem.
Versículo 16: "Maldito aquele que desprezar a seu pai ou a sua mãe. E todo o povo dirá: Amém" (Os versículos seguintes ao 16 descrevem uma série de pecados, os quais Deus amaldiçoa - Nota do Editor).
- Maldito aquele que transgredir a lei de Deus. Deus amaldiçoava os que desobedeciam a Sua lei.
Gálatas 3.10: "Todos aqueles, pois, que são das obras da lei estão debaixo da maldição; porque está escrito: Maldito todo aquele que não permanecer em todas as coisas que estão escritas no livro da lei, para fazê-las".
- Deus decretou várias maldições. Maldito o que não cumprir toda a lei. Ninguém é capaz de cumprir a lei, portanto, todos são malditos.
- Somente Jesus Cristo cumpriu-a integralmente.
- Deus exige santidade, justiça, retidão. E ninguém satisfez a Deus, porque somos pecadores. Mas Cristo foi o único capaz de satisfazer as exigências de Deus.
- Em Cristo somos capazes de agradá-lO, visto que Ele, o Filho, nos justificou perante Deus. Então, não devemos viver em pecado, mas ter uma vida de santidade, retidão e justiça, porque Cristo nos libertou da prisão do pecado, para vivermos conforme a vontade Deus.
- A lei somente nos trará condenação. Ninguém poderá viver e ser salvo pela lei. Se você mentir será condenado. Se adulterar será condenado. Se roubar será condenado.
- Não há outra salvação, somente em Cristo Jesus. Todo aquele que buscar uma outra salvação está debaixo da maldição e da ira de Deus.
Romanos 8.3: "Porquanto o que era impossível à lei, visto como estava enferma pela carne, Deus, enviando o seu Filho em semelhança da carne do pecado, pelo pecado condenou o pecado na carne".
- As Escrituras nos dizem que a lei é boa: "E assim a lei é santa, e o mandamento santo, justo e bom" (Rm 7.12).
- Mesmo sendo santa, justa e boa a lei não pode nos salvar.
Mateus 15.19: "Porque do coração procedem os maus pensamentos, mortes, adultérios, fornicação, furtos, falsos testemunhos e blasfêmias. São estas coisas que contaminam o homem; mas comer sem lavar as mãos, isso não contamina o homem".
- Há coisas que contaminam o homem. E elas procedem do coração, é dele que procedem o pecado, os maus pensamentos.
- A santidade de Deus exigiu uma justiça que está acima de nós, muito além de nossas forças e possibilidades.
Mateus 6.21: "Porque onde estiver o vosso tesouro, aí estará também o vosso coração".
Mateus 9.4: "Mas Jesus, conhecendo os seus pensamentos, disse: Por que pensais mal em vossos corações?".
- O Senhor sabe o que se passa no coração do homem, Ele conhece a maldade que há no coração do homem.
Mateus 12.34: "Raça de víboras, como podeis vós dizer boas coisas, sendo maus? Pois do que há em abundância no coração, disso fala a boca. O homem bom tira boas coisas do bom tesouro do seu coração, e o homem mau do mau tesouro tira coisas más".
Mateus 15.8: "Este povo se aproxima de mim com a sua boca e me honra com os seus lábios, mas o seu coração está longe de mim".
Versículo 18: "Mas, o que sai da boca, procede do coração, e isso contamina o homem.Porque do coração procedem os maus pensamentos, mortes, adultérios, fornicação, furtos, falsos testemunhos e blasfêmias.São estas coisas que contaminam o homem; mas comer sem lavar as mãos, isso não contamina o homem".
- Em Rm 8.3,lemos que a lei não pode nos salvar. Que o nosso coração está afastado de Deus.
Gálatas 3.13: "Cristo nos resgatou da maldição da lei, fazendo-se maldição por nós; porque está escrito: Maldito todo aquele que for pendurado no madeiro".
- Em deuteronômio, quando Deus dá a lei aos homens, disse que maldito aquele que for pendurado no madeiro. Cristo se fez maldição por nós! Aquele que não tem pecado, nem culpa, nem desobedeceu a Deus, morreu na cruz do Calvário, suspenso em um madeiro, para nos livrar da maldição do pecado.
- Ele ocupou o lugar que deveria ser nosso, substituindo-nos.
- Ainda que éramos pecadores, afastados de Deus, em desobediência a Ele, Cristo, pelo seu muito e maravilhoso amor, chama-nos à reconciliação com Deus, pelo Seu perdão dado ao coração arrependido.
Jeremias 24.7: "E dar-lhes-ei coração para que me conheçam, porque eu sou o Senhor; e ser-me-ão por povo, e eu lhes serei por Deus; porque se converterão a mim de todo o seu coração".
- Jeremias é perseguido por tentar fazer o povo voltar-se para Deus.
- E Deus dá um coração para que O conheçam. Se Ele não nos der um novo coração, jamais o buscaremos,nem O conheceremos... Sabe porque nós o buscamos? Porque Ele coloca em nosso coração o desejo de buscá-lO, de conhecê-lO.
- Deus tem aberto o meu coração para que eu veja a Sua bondade, a Sua misericórdia, a Sua graça, e receba o Seu perdão; distanciando-me do pecado, da rebeldia e aproximando-me d'Ele, vontando-me ao caminho que O honre e glorifique.
- E assim, Ele será o meu Deus, e nós seremos o Seu povo. Não O honraremos mais apenas com os lábios, mas com o coração. E isso só foi possível pelo sacrifício de Cristo na cruz, resgatando-nos da condenação e da separação eterna de Deus.
- Ele nos chamou para sermos crentes, não apenas aos domingos, mas em tempo integral, testemunhando com nossas vidas dia após dia a conversão do nosso coração a Deus.
Jeremias 29.13: "E buscar-me-eis, e me achareis, quando me buscardes com todo o vosso coração. E serei achado de vós, diz o Senhor, e farei voltar os vossos cativos e congregar-vos-ei de todas as nações, e de todos os lugares para onde vos lancei, diz o Senhor, e tornarei a trazer-vos ao lugar de onde vos transportei".
- Esta é uma promessa de Deus para todos os tempos: buscai ao Senhor, clamai ao Senhor por misericórdia, e deixe o ímpio o caminho do mal, e converta-se a Deus.
- Ele tem transformado a nossa vida, mas ainda assim, devemos buscá-lO incessantemente.
- Rm 8.1, "portanto agora" significa no tempo de hoje, no tempo do sacrifício de Jesus Cristo, neste instante... pois "nenhuma condenação há para os que estão em Cristo Jesus".
- Nós sentiremos tristeza por nossos pecados, quando desobedecemos e nos rebelamos contra Deus. Mas, também, sentiremos conforto, e a certeza de que Ele nos perdoará quando nos arrependemos, voltando-nos para Ele em busca do Seu perdão.
- Temos a certeza de que o perdão de Deus é realidade em nossas vidas; e de que a salvação é um milagre que somente Cristo poderia fazer por nós.

Resumo da mensagem pregada no TBB: 14 de Setembro de 2008
Todos os versículos da Almeida Corrigida e Fiel da SBTB(ACF)

sábado, 13 de setembro de 2008

CRISTO É DEUS!

Pr. Luiz Carlos Tibúrcio


Hebreus 1.1-3: "Havendo Deus antigamente falado muitas vezes, e de muitas maneiras, aos pais, pelos profetas, a nós falou-nos nestes últimos dias pelo Filho, A quem constituiu herdeiro de tudo, por quem fez também o mundo. O qual, sendo o resplendor da sua glória, e a expressa imagem da sua pessoa, e sustentando todas as coisas pela palavra do seu poder, havendo feito por si mesmo a purificação dos nossos pecados, assentou-se à destra da majestade nas alturas".
- Deus, no decorrer da história, manifestou-se aos homens de muitas maneiras e formas.
- No estudo que fazemos do Livro de Gênesis, às quartas-feiras, encontramos Deus criando, mostrando amor para com a Sua criação; igualmente, vemos Ele revelando-se aos homens, e a forma como nós O desprezamos, pecando contra Ele.
- Através do Seu amor contrangedor e infinito, Deus vem atraindo-nos a Si, cercando-nos de bênçãos, chamando-nos a andar na Sua presença, a relacionarmo-nos com Ele.
- Neste tempo, que é o tempo dos últimos dias... É interessante como mesmo as pessoas mais incrédulas, mesmo aquelas que resistem e não querem nenhuma espécie de relacionamento com Deus percebem que estamos nos fins do tempo... É neste tempo, em que se avizinha a volta do Senhor Jesus Cristo, que Deus nos falou pelo Filho.
Daniel 7.13-14: "Eu estava olhando nas minhas visões da noite, e eis que vinha nas nuvens do céu um como o filho do homem; e dirigiu-se ao ancião de dias, e o fizeram chegar até ele. E foi-lhe dado o domínio, e a honra, e o reino, para que todos os povos, nações e línguas o servissem; o seu domínio é um domínio eterno, que não passará, e o seu reino tal, que não será destruído".
- Daniel tem a visão do Senhor Jesus Cristo.
- Ele está aflito pelo seu povo, o povo de Israel, que se encontra cativo e escravo dos babilônicos; mas o Senhor dá-lhe esperanças, por que Deus é o Deus da esperança; e revela a Daniel Cristo como o Filho do homem glorificado, o qual tem o poder eterno.
Lucas 3.38: "E Cainã de Enos, e Enos de Sete, e Sete de Adão, e Adão de Deus".
- A genealogia do Senhor Jesus Cristo chega até Adão, e chega até Deus.
Mateus 3.17: "E eis que uma voz dos céus dizia: Este é o meu Filho amado, em quem me comprazo".
- Cristo está para ser batizado por João o Batista, e tão logo Ele sai das águas, a voz de Deus ecoa afirmando: Este é o meu Filho amado! O Senhor é o Filho de Deus, amado e em quem o Pai se alegra.
- O mundo foi criado, os homens, animais e os anjos foram criados por Deus. Mas Cristo é o Filho eterno de Deus.
- Se os irmãos querem ter o coração cheio de alegria, entoem hinos de louvor ao Senhor Jesus Cristo. Como diz um trecho do hino "Coroai": "Louvai o nome de Jesus, arcanjos vos prostrai, arcanjos vos prostrai...". Cantem louvores a Ele, e os seus corações arderão de gozo e alegria.
Mateus 17.5: "E, estando ele ainda a falar, eis que uma nuvem luminosa os cobriu. E da nuvem saiu uma voz que dizia: Este é o meu amado Filho, em quem me comprazo; escutai-o ".
- Novamente Deus manifesta o Seu amor ao Filho. No céu a comunhão perfeita de Deus, e na terra, a comunhão perfeita de Deus Pai com Seu Filho Amado Jesus Cristo.
- Cristo dá prazer ao Pai, e através d'Ele, também damos alegria ao Pai.
João 5.18: "Por isso, pois, os judeus ainda mais procuravam matá-lo, porque não só quebrantava o sábado, mas também dizia que Deus era seu próprio Pai, fazendo-se igual a Deus".
- Os judeus queriam matar o Senhor Jesus Cristo, não apenas por que Ele não guardava o sábado, mas por que Ele se colocava igual a Deus.
- Há muitas pessoas que dizem honrar a Cristo, e afirmam que Ele nunca se comparou com Deus; mas neste trecho das Escrituras vemos claramente que os judeus entenderam exatamente o que o Senhor Jesus dizia.
- Não havia dúvidas quanto ao que Cristo dizia, de que Ele e o Pai eram Um.
- Em Lucas 2. 43 em diante, vemos Maria e José questionando a Jesus, menino, por que havia permanecido em Jerusalém. Ao que o Senhor disse: "Por que é que me procuráveis? Não sabeis que me convém tratar dos negócios de meu Pai?". Jesus, desde criança, sempre soube que era Filho de Deus, quem era, e qual o propósito da sua vida. Maria não sabia, muito menos José. Mas Cristo não tinha dúvidas de quem Ele era.
- Cristo tem as características de Deus, a personalidade de Deus, age como Deus, é Deus. Ele é o Alfa e o Ômega, o princípio e fim (Ap. 1.8). Antes de tudo existir, Ele já era. No princípio era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus (João 1.1). Jesus Cristo é Deus!
- Para muitos, Jesus Cristo é um guru, um anjo, um iluminado, um deus menor, que não é Todo-Poderoso; mas as Escrituras são claras em afirmar e revelar que só há um Deus.
João 1.49: "Natanael respondeu, e disse-lhe: Rabi, tu és o Filho de Deus; tu és o Rei de Israel. Jesus respondeu, e disse-lhe: Porque te disse: Vi-te debaixo da figueira, crês? Coisas maiores do que estas verás. E disse-lhe: Na verdade, na verdade vos digo que daqui em diante vereis o céu aberto, e os anjos de Deus subindo e descendo sobre o Filho do homem".
- Esta é a visão de Jacó: ele vê os anjos subindo e descendo sobre Cristo, o qual é a escada que nos liga a Deus.
- Através de Cristo temos comunhão com Deus, e vemos os céus abertos, somente pela graça e misericórdia de Deus.
- Cristo é onisciente: ao ver Natanael debaixo da figueira; ao saber o que se passava na mente de Simão, o fariseu (Lc 7.39-50).
Portanto, Cristo é Deus!
João 20.27: "Depois disse a Tomé: Põe aqui o teu dedo, e vê as minhas mãos; e chega a tua mão, e põe-na no meu lado; e não sejas incrédulo, mas crente. E Tomé respondeu, e disse-lhe: Senhor meu, e Deus meu!" .
- Tomé, ao ver o Senhor ressurreto, adorou-O. E sabemos que apenas Deus é digno de adoração. Se adorarmos a qualquer outra coisa, seja homem ou objeto, pecamos, trazendo condenação sobre nós, porque "ao Senhor teu Deus adorarás, e só a ele servirás" (Mt 4.10).
Tito 2.13: "Aguardando a bem-aventurada esperança e o aparecimento da glória do grande Deus e nosso Senhor Jesus Cristo".
- Paulo diz que o Senhor Jesus Cristo é o Deus da nossa salvação. Como está escrito em Jonas 2.9: "Do Senhor vem a salvação".
- Cristo é Deus!
Mateus 18.20: "Onde estiverem dois ou três reunidos em meu nome, aí estou eu no meio deles".
- O Senhor Jesus Cristo é onipresente, portanto, é Deus!
Filipenses 3.21: "Mas a nossa cidade está nos céus, de onde também esperamos o Salvador, o Senhor Jesus Cristo, Que transformará o nosso corpo abatido, para ser conforme o seu corpo glorioso, segundo o seu eficaz poder de sujeitar também a si todas as coisas.
- Jesus transformará o nosso corpo abatido num corpo glorioso como o Seu.
- Ele sujeita todas as coisas sob o Seu poder; não só o nosso corpo será transformado, mas a nossa vida também. Estaremos, na plenitude da Sua glória em contínua e eterna adoração, como nunca, como jamais fomos capazes de sequer imaginar.
- Em Mateus 8, uma tempestade levanta o mar, e as ondas cobriam o barco. Então, lemos: "E os seus discípulos, aproximando-se, o despertaram, dizendo: Senhor, salva-nos! que perecemos. E ele disse-lhes: Por que temeis, homens de pouca fé? Então, levantando-se, repreendeu os ventos e o mar, e seguiu-se uma grande bonança". Cristo tem poder sobre a natureza, sobre nós, sobre o pecado... por isso, Ele disse: "Se, pois, o Filho vos libertar, verdadeiramente sereis livres" (Jo 8.36). Podemos orar: Senhor, liberta-nos pelo Seu poder!
- Cristo é onipotente, Ele tem todo o poder, portanto, é Deus!
- Irmãos, temos uma promessa de um mundo maravilhoso, onde não haverá mais morte, tristezas, sofrimento e dor. E este é o Reino do Senhor Jesus Cristo.
Colossenses 1.16: "Porque nele foram criadas todas as coisas que há nos céus e na terra, visíveis e invisíveis, sejam tronos, sejam dominações, sejam principados, sejam potestades. Tudo foi criado por ele e para ele".
- Cristo é o Senhor de todas as coisas, e a expressa imagem da bondade de Deus (Êx 33.19).
Romanos 9.5: "Dos quais são os pais, e dos quais é Cristo segundo a carne, o qual é sobre todos, Deus bendito eternamente. Amém".
- O Senhor Jesus Cristo é Deus bendito eternamente!
- Quando olhamos para Cristo, vemos Deus.
- O Senhor Jesus é o nosso Deus exaltado, e n'Ele habita corporalmente toda a plenitude da divindade (Cl 2.9).
Hebreus 1.8: "Mas, do Filho, diz: Ó Deus, o teu trono subsiste pelos séculos dos séculos; Cetro de eqüidade é o cetro do teu reino".
- Cristo reina, e o Seu reino será um reino de justiça, e o Seu trono subsiste pelos séculos dos séculos, pois, o Senhor é Deus! Toda honra, louvor e gloria seja dada a Ele, o Deus Filho, o qual é o único caminho que nos leva a Deus, a luz que nos ilumina, e nos dá a vida eterna.

Resumo da mensagem pregada no TBB: 07 de Setembro de 2008
Todos os versículos são da Almeida Corrigida e Fiel da SBTB(ACF)

quinta-feira, 4 de setembro de 2008

A URGÊNCIA DE DEUS

Pr. Júlio César de Salles

Por causa de nossa natureza totalmente caída, não conseguimos avaliar a urgência do tempo de Deus, tanto em nossas vidas como na vida das pessoas que estão em nosso arredor. Confundimos o urgente com aquilo que julgamos ser mais importante e conseqüentemente sacrificamos o eterno no altar do temporal. O apóstolo Paulo nos diz em Efésios capítulo 5 verso 16: “Remindo o tempo, porquanto os dias são maus”. Deus não deseja que assumamos o espírito de agitação de nossos dias e passemos a viver um estilo de vida apressado, como se estivéssemos apagando focos de incêndio a todo o momento, mas que tenhamos uma atitude de viver em paz com todos os homens. Temos a plena certeza que em nenhum momento o apóstolo Paulo está nos pedindo para sermos mais espertos em nossas tarefas, ou que façamos todas atividades em uma velocidade maior, muito menos nos ensinando que temos de possuir uma agenda pessoal. Seguir uma agenda é muito importante, mas aqui neste texto Deus nos conclama a viver atento no que se refere à falência espiritual em que as pessoas vivem ao nosso arredor. Não é também buscar uma espécie de criatividade usando métodos atraentes deste mundo para proclamar o Evangelho, e nem de aproveitar os problemas que as pessoas sofrem para apresentar um evangelho social, o qual somente resolverá suas causas momentâneas. Não devemos ser pragmatistas.
Tomemos, como exemplo, o profeta Jeremias que foi tentado a pregar um evangelho que agradasse aos seus ouvintes. O contexto do livro nos mostra que os caldeus já estavam invadindo Judá, para levá-los cativos à Babilônia, debaixo do decreto permissivo e disciplinar de Deus. Não havia mais jeito! Os judeus não deram ouvidos à palavra de urgência de Deus enviada pelos seus servos, os profetas. As aldeias haviam sido queimadas, crianças estavam sendo mortas a fio de espada, mulheres sendo estupradas na frente de seus maridos, e o templo de Salomão sendo saqueado pelos babilônicos. O povo não prestou atenção no tempo da urgência de Deus. Estavam apressados, em fuga, mas não urgentes com a mensagem vinda de Deus por intermédio de Jeremias. Há uma grande diferença na pressa humana e na urgência de Deus. Deus ensinou esta grande diferença através da vida de Jeremias.
O próprio Jeremias foi chamado por Deus antes da fundação do mundo (Jr 1:5-8). Mostrando que o tempo de Deus é diferente do tempo do homem. Que Sua urgência não está presa a métodos humanos. Foi ameaçado de morte, por pregar uma palavra que não apoiava aquela pressa excessiva de fugir da disciplina de Deus (Jr 11:18-21). Proibido por Deus de se casar e constituir família... Que aproveita criar família, assumindo o estilo da pressa humana, só para ser assassinada na horrível carnificina prestes a desencadear-se sobre os habitantes de Judá?(Jr 16:1-4). Foi também torturado e jogado dentro de uma cisterna, e desreipeitosamente, até hoje é apelidado de "profeta chorão". Quem fala isso é porque nem imagina as cenas horríveis que este profeta presenciou. Seu lamento foi tão grande que chegou a dizer que seus olhos eram como “uma fonte de lágrimas” (Jr 9:1-10).
Em Jeremias no capítulo 32, presenciamos um grande paradóxico entre a urgência de Deus em relação ao desespero apressado da natureza humana. Em face de toda aquela situação de desespero, Deus ordena ao profeta que faça a compra de uma propriedade. Jeremias aqui se encontrava literalmente preso, por haver pregado algo longe da expectativa do povo, a qual era tornar-se livre da invasão babilônica. A palavra de Deus estava sendo cumprida diante do rei Zedequias e de todo o povo. A cidade estava sendo queimada, muitos morrendo de sede e fome. Propriedades, lavouras e campos estavam sendo abandonados por causa da iminente invasão. E no meio dessa confusão aparece Deus ordenando a Jeremias que efetuasse a compra de uma propriedade. Que milagre Deus estava realizando! Este ato de compra deveria ser feito na frente de todos, para mostrar que nosso Deus está acima das situações. Imaginemos como ficou o semblante do rei Zedequias ao ver Jeremias sendo libertado das cadeias pelo poder de Deus, para realizar a compra de uma propriedade. Até mesmo o próprio profeta que, pouco tempo antes, Deus proibira de constituir família, agora estava surpreso com a nova ordem de Deus... Irmãos, quantas vezes ficamos admirados com os supremos feitos de Deus! Os métodos da urgência de Deus estão sempre acima do desespero humano. Jeremias testificou esse milagre divino em sua vida. Observemos alguns aspectos relevantes neste capítulo:
No verso 8 deste mesmo capítulo ele declara “Então entendi que isto era a palavra de Deus”. Jeremias obedeceu reconhecendo a urgência de Deus. No verso 17, ele diz: "nada há que seja demasiado difícil para Ti”. E nos versículos 17 a 21 vemos uma oração de ações de graças entoada pelo profeta. Jeremias não se vangloriou no braço do homem. Devemos reconhecer o livramento da urgência de Deus, e não buscar apoio em métodos humanos.

Versículo 18: "Tu que usas de benignidade com os milhares”. É interesante que até o nome das pessoas e lugares nessa história possuem um significado especial. "Hananel”, significa, “Deus se apiedou”; "Salum” é “retribuição”; e “Ananote” é “orações respondidas”. Como é fantástico ver que tudo foi providenciado para a glória de Deus.
Humanamente falando seria um absurdo realizar a compra de uma Terra diante de uma invasão. Mas Deus queria mostrar através desse ato que, no futuro, o povo judeu voltaria a tomar posse daquela Terra prometida a Israel.
Um pouco mais à frente, no capítulo 37, versos 11 a 13, Jeremias foi solto da prisão e tinha todo o direito de usufruir de seu novo patrimônio. No caminho, ao sair pelos portões da cidade, foi mal interpretado por alguns, que logo o prenderam novamente por acusação de ser um traidor. Aprendemos com este acontecimento que muitas vezes Deus irá nos pedir para abrir mão de nossas vidas e sofrer com as pessoas. "Fiz-me como fraco para os fracos, para ganhar os fracos. Fiz-me tudo para todos, para por todos os meios chegar a salvar alguns” (1Cor 9:22). "Fez conhecidos os seus caminhos a Moisés, e os seus feitos aos filhos de Israel” (Sl 103: 7). Não podemos ficar presos somente aos feitos de Deus e nos esquecer de seus caminhos. Jeremias mostrou maturidade, e abriu mão das bênçãos, e se preocupou com as vidas ao seu arredor.
Irmãos, não sejamos incrédulos em assumir a pressa frenética do mundo, correndo de um lado para o outro atropelando e até mesmo machucando as pessoas. Muitas vezes somos tentados a trocar o evangelho da Cruz pelo evangelho do alívio. Roguemos a Deus para que sejamos fiéis como foi Jeremias. Fiéis ao Seu chamado, e a descançar no livramento certo que virá no tempo perfeito da suprema urgência de Deus. Amém!

Resumo da mensagem pregada no T.B.B. em 24 de Agosto de 2008
Todos os versículos são da Almeida Corrigida e Fiel da S. B. T. B. (ACF)