.

.
Página de doutrina Batista-Calvinista. Cremos na inspiração divina, na inerrância e infalibilidade das Escrituras Sagradas; e de que Deus se manifestou em plenitude no seu Filho Amado Jesus Cristo, nosso Senhor e Salvador, o qual é a Segunda Pessoa da Tri-unidade Santa
CLIQUE, NO TÍTULO DE CADA UMA DAS POSTAGENS, PARA ACESSAR O ÁUDIO DO SERMÃO OU ESTUDO

sábado, 12 de julho de 2008

"SENHOR, LEMBRA-TE DE MIM!"

Pr. Luiz Carlos Tibúrcio

Quero ler hoje com os irmãos as Escrituras em Lucas, cap. 23.42: "E disse a Jesus: Senhor, lembra-te de mim, quando entrares no teu reino". Esta é uma palavra fantástica dita nas Escrituras; revelada-nos de uma forma estonteate; quanto esse ladrão, esse malfeitor, diz ao Senhor: "Lembra-te de mim, quando entrares no teu reino". Como ele chegou a ponto de dizer isso?; é o que devemos pensar, porque ele analisou a sua própria vida, e viu que era merecedor daquela morte horrível. E ainda assim, como ele podia fazer ao Senhor tal pedido? Pela sua vida, pelas suas atitudes, por tudo o que havia feito, aquele malfeitor deveria dizer: Senhor, não te lembres de mim!... Mas ele, pela graça de Deus, e por uma revelação de Deus, compreendeu o sacrifício de Jesus na cruz.
No versículo 33, lemos: "E, quando chegaram ao lugar chamado a Caveira, ali o crucificaram, e aos malfeitores, um à direita e outro à esquerda". A Palavra de Deus diz que o Senhor Jesus Cristo foi crucificado, e havia passado um tempo de agonia orando ao Pai, uma agonia tal que caiam gotas de sangue juntamente com o suor. Ele passaria por açoites, por flagelos e outras agressões, com uma coroa de espinhos cravada na cabeça; e o seu sofrimento era um sofrimento sobre-humano. Ele encontraria-se muito ferido, machucado. E o levariam ao lugar chamado Caveira, e ali, O crucificariam com os malfeitores. E Ele está passando por muito sofrimento...
No versículo 34, mesmo diante do sofrimento, a Palavra descreve que ainda assim aquele era um lugar de misericórdia: "E dizia Jesus: Pai, perdoa-lhes, porque não sabem o que fazem". Ainda que o Senhor esteja sofrendo, ainda que esteja tão machucado, e seja tão desprezado, Ele clama ao Pai que os perdoe.
Havia no local também zombarias: "E, repartindo as suas vestes, lançaram sortes. E o povo estava olhando. E também os príncipes zombavam dele, dizendo: Aos outros salvou, salve-se a si mesmo, se este é o Cristo, o escolhido de Deus. E também os soldados o escarneciam, chegando-se a ele, e apresentando-lhe vinagre. E dizendo: Se tu és o Rei dos Judeus, salva-te a ti mesmo. E também por cima dele, estava um título, escrito em letras gregas, romanas, e hebraicas: este é o rei dos judeus." (Lc 23.34-38). Essa foi a forma usada para escarnecerem-se do Senhor, e ainda, repartiram as suas roupas. Mas tudo isso era para que se cumprissem as Escrituras.
Ali, Jesus Cristo passou por um tempo de dor, de desprezo, de vergonha, despido de suas vestes; Ele que é o santo de Deus, está sendo humilhado e zombado por aqueles que tanto amou, e aos quais devotou o Seu ministério. E é nesse tempo, durante esse tempo, que o Senhor tem o encontro com aquele ousado homem, o qual lhe faz um pedido igualmente ousado.
No versículo 33, vemos que naquele lugar onde o Senhor foi crucificado, que durante aquele tempo, havia dois homens crucificados com Ele, um à sua direita, outro à sua esquerda... Ele tem um encontro com esses dois homens.
Lucas 19.10: "Porque o Filho do homem veio buscar e salvar o que se havia perdido". Como deve nos encher de alegria o coração este versículo juntamente com o trecho de Lucas 23! Não importa a circunstância da vida pela qual estamos atravessando, talvez seja neste exato lugar, neste exato momento, que o Senhor Jesus Cristo irá nos encontrar. A Palavra nos diz que o Senhor é homem de dores, e que sabe o que é o sofrimento. Cheio de compaixão, cheio de misericórdia, o Santo do Senhor estava ali na vida daqueles pecadores.
Algo fantástico... que devemos pensar (e o Senhor nos falará sobre isto), é de que, ao olharmos para a vida das pessoas, buscamos um pequeno sinal de que elas servem a Deus; e as vezes não vemos sinal algum. Mas na vida daqueles homens vemos todos os sinais de desprezo a Deus. Porque o Senhor disse: Não matarás! Não roubarás! Não cometerás adultério! E outras leis, e outros ensinamentos, que foram dados a todos os homens...
Ali, na Caveira, esse homem tem o encontro com o Senhor. Graças a Deus por isso, meus irmãos!
Lucas 23.39: "E um dos malfeitores que estavam pendurados blasfemava dele, dizendo: Se tu és o Cristo, salva-te a ti mesmo, e a nós". Um dos malfeitores dizia: Se você é o Cristo, livra-nos do sofrimento; se você é o que eles dizem ser, livra-nos desta punição, deste tormento, desta morte horrível.
Versículo 40: "Respondendo, porém, o outro, repreendia-o, dizendo: Tu nem ainda temes a Deus, estando na mesma condenação? E nós, na verdade, com justiça, porque recebemos o que os nossos feitos mereciam; mas este nenhum mal fez".
Sabe, nenhum criminoso, perante a Justiça é chamado a depor contra si mesmo; a lei o proteje de se incriminar a si mesmo. Mas a Palavra de Deus diz que se confessarmos os nossos pecados, Ele é fiel e justo para nos perdoar de toda a iniquidade. Amém, irmãos! Diferente da lei humana que nos garante o direito de ocultarmos os nossos pecados, a Palavra de Deus nos promete perdão pela confissão; confessar é concordar com Deus, é dizer a mesma coisa: sim, Senhor, eu pequei!
De uma forma maravilhosa esse homem, um pecador assumido, reconhece que a vida dele (para ter tal morte), não era uma vida de pequenos pecados e delitos, mas grandemente pecaminosa; ele era um criminoso, um criminoso de fato. E ele está diante do Senhor, que é santo, que é verdadeiro, e reconhece que é merecedor daquela condenação. Como alguém assim, podia clamar ao Senhor que se lembrasse dele? Ele está afirmando: Nós merecemos este castigo. Somos criminosos e fazemos jus a um castigo terrível; mas ele diz: "Senhor, lembra-te de mim quando entrares no teu reino". Que confiança ele tem no Senhor!
Alguns diriam: Olha, eu quero ver na vida desse ou daquele irmão algum sinal de que ele é cristão. E esse malfeitor, crucificado ao lado de Jesus, só tem sinais de maldade, e a própria confissão saída dos seus lábios o confirma. Quantos anos ele tinha? Talvez trinta, quarenta anos... As Escrituras não revelam a sua idade, mas uma vida de pecado e de desobediência a Deus. Como ele começou? Talvez com pequenos furtos, pequenas transgressões e maldades, desrespeitando os pais, rebelde na escola, fazendo uma pervesidade aqui outra ali; e finalmente, ele será morto, suas pernas serão quebradas, ele foi crucificado. Um final apavorante para a sua vida; mas numa atitude extraordinária e mesmo milagrosa, ele confessa os seus pecados.
Romanos 10.9-10, diz: "A saber: Se com a tua boca confessares ao Senhor Jesus, e em teu coração creres que Deus o ressuscitou dentre os mortos, serás salvo".
1 João 1.9: "Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados, e nos purificar de toda a injustiça".
Temos a promessa do Senhor, da Sua fidelidade em perdoar e purificar aqueles que lhE confessam os seus pecados. Que incentivo maravilhoso temos, para cada dia, para cada falha cometida, de chegar humildemente ao trono da graça do Senhor confessando os nossos pecados, e receber d'Ele o perdão.
Lucas 23.42: "Senhor, lembra-te de mim, quando entrares no teu reino". Versículo 43: "E disse-lhe Jesus: Em verdade te digo que hoje estarás comigo no Paraíso"... Prontidão de confissão, prontidão ainda maior de perdão. Na verdade, Deus permitiu que aquele malfeitor se encontrasse com o Senhor Jesus naquela cruz; e no pior dia da sua vida, no dia em que encontraria a sua punição merecida, ele encontraria o perdão, o amor de Deus, e a salvação em Cristo Jesus. Aquele foi um dia magnífico, o melhor dia na vida desse homem! Pois ele não podia fazer nada para se salvar... Diferente do jovem rico que se aproximou do Senhor e disse: Senhor, tenho observado todos os mandamentos, o que me falta para ser salvo?, o ladrão da cruz disse: Senhor, tenho transgredido todas as suas leis, tem misericórdia de mim quando entrar no Seu reino... O jovem rico que tinha guardado toda a Lei saiu triste, mas o malfeitor recebeu a promessa de estar eternamente com o Senhor.
Como é fantástico ver que todos os que se achegam ao Senhor recebem o gratuito perdão e a salvação; e ver que o Senhor, no momento mais difícil na vida daquele homem, com todos os seus crimes e pecados recaindo sobre ele, Jesus estava pronto a perdoá-lo.
Talvez esteja acontecendo isso na sua vida; as suas transgressões estejam sobre você, e o seus pecados o aproximam do abismo, pronto a destruir a sua vida; mas, neste momento, você tem a oportunidade de receber todo o amor e graça do Senhor nosso Deus.
Nenhum sacrifício ou esforço aquele homem fez para receber a salvação de Deus, a não ser reconhecer-se como pecador, e pedir pela misericórdia do Senhor.
Meus irmãos, esse pecador está dizendo: "Senhor, lembra-te de mim quando entrares no seu reino". O Senhor está aqui agora! O Senhor reina nos céus, e reina também aqui na Terra. E o Senhor tem prometido que jamais desamparará os seus. Não importa quais tipos de aflições nos afligem, nem o tamanho das angústias pelas quais passamos, o Senhor nos consolará a cada dia, nos fortalecerá e nos guiará, e em breve nos receberá em Seu reino de amor. Que alegria será quando encontrarmos com esse homem que foi salvo na cruz, com os santos que serviram ao Senhor, como João, Paulo, Pedro... os outros apóstolos e irmãos ao longo da história, mas como será ainda mais indizível e sublime encontrar o Senhor que nos salvou!
A Palavra de Deus diz que Ele ainda conservará as marcas do amor pelo Seu povo. E O veremos, e nos lembraremos das aflições que passamos um dia, e de como foi bom o encontro com o Senhor Jesus Cristo nosso salvador.
"Lembra-te de mim quando entrares no teu reino". Este foi o pedido daquele homem, o pedido que teve a resposta imediata e maravilhosa do Senhor: "Ainda hoje estaras comigo no Paraíso".
Que consolo devemos ter com as tribulações da vida, se sabemos que, um dia, estaremos com o nosso Deus! Temos um trabalho a fazer aqui, o trabalho de dizer a todas as pessoas que há salvação independente do tamanho do pecado, maior é o amor do nosso salvador. Amém, meus irmãos!

Sermão pregado em 06 de Julho de 2008, no T.B.B.
*Todos os versículos são transcritos da Bíblia Almeida Corrigida e Fiel da SBTB(ACF)

2 comentários:

Alana disse...

Maravilhoso! Essa foi a mesma palavra pregada no culto de domingo da igreja que frequento... Hoje me sinto confortada com essa palavra...Obrigada por postar aqui. Abraço e Jesus te abençoe!
Atenciosamente,
Alana

Alana disse...

Maravilhoso! Essa foi a mesma palavra pregada no culto de domingo da igreja que frequento... Hoje me sinto confortada com essa palavra...Obrigada por postar aqui. Abraço e Jesus te abençoe!
Atenciosamente,
Alana