.

.
Página de doutrina Batista-Calvinista. Cremos na inspiração divina, na inerrância e infalibilidade das Escrituras Sagradas; e de que Deus se manifestou em plenitude no seu Filho Amado Jesus Cristo, nosso Senhor e Salvador, o qual é a Segunda Pessoa da Tri-unidade Santa
CLIQUE, NO TÍTULO DE CADA UMA DAS POSTAGENS, PARA ACESSAR O ÁUDIO DO SERMÃO OU ESTUDO

sábado, 19 de julho de 2008

DEUS PELEJA POR NÓS!

Pr. Luiz Carlos Tibúrcio

Êxodo, 14.13-14, diz: " Moisés, porém, disse ao povo: Não temais; estai quietos, e vede o livramento do Senhor, que hoje vos fará; porque aos egípcios, que hoje vistes, nunca mais os tornareis a ver. O Senhor pelejará por vós, e vós vos calareis"... A Palavra de Deus diz: Calai e marchai! Muitas vezes, em nossas vidas, em muitas circunstâncias, Deus nos orientará a, tão somente, continuar com o Seu serviço, caminhando em Sua presença, esperando totalmente n'Ele.
O povo de Israel, durante séculos, foi escravo dos egípcios. E Deus, através do profeta Moíses, fez maravilhas no Egito; e por elas, o povo egípcio conheceu o poder de Deus, porque a mão do Senhor pesava sobre eles. Mas era também um tempo de temor de Israel. E assim, muitas vezes, será um tempo de temor, de lutas, de dificuldades nas nossas vidas, e não sabemos o que acontecerá conosco, mas podemos ter a confiança e a firmeza de que Deus peleja por nós! A única certeza que temos é de que o Senhor cuida do Seu povo, e jamais o abandonará. Ao vislumbrar as dificuldades que o povo de Israel atravessou, olhando para nós, devemos pensar sobre aquilo pelo qual passamos em nossas vidas.
Êxodo 14.10: "E aproximando Faraó, os filhos de Israel levantaram seus olhos, e eis que os egípcios vinham atrás deles, e temeram muito; então os filhos de Israel clamaram ao Senhor". Há circunstâncias difíceis pelas quais o povo de Deus passa, e esse tempo foi anunciado por Deus à Abraão; e os Seus planos são cumpridos aqui na vida do Seu povo.
O Senhor enviou Moíses para libertar o Seu povo; para livrá-lo do cativeiro. E Moíses fez muitos sinais no Egito, sinais de morte, de destruição, mostrando qual poder havia na terra. Após Deus ferir os primogênitos egípcios, crianças e animais, todos morreram! Então, Israel é liberto da escravidão, e o povo de Deus sai do meio dos seus opressores com mão forte, pois, o poder de Deus foi manifestado aos olhos de todos.
Êxodo 14.8: "Porque o Senhor endureceu o coração de Faraó, rei do Egito, para que perseguisse aos filhos de Israel; porém os filhos de Israel saíram com alta mão". Israel sai do Egito, livre do jugo da nação mais poderosa em toda a Terra, e sai confiado em Deus, o qual os libertou pelo Seu infinito poder. Mas no deserto, com o Mar Vermelho à sua frente, Israel vê os egípcios, que com grande força de guerra o persegue. Versículo 7: "E tomou seiscentos carros escolhidos, e todos os carros do Egito, e os capitães sobre eles todos". Faraó tomou consigo todos os carros de guerra, e saiu ao encalço dos judeus. Vejam a situação do povo de Deus, meus irmãos, ele era um povo escravo, que não tinha armas e nem sabia lutar; e Faraó encurralá-os com toda a sua força de guerra: à frente o mar, e atrás, as tropas egípcias. E eles estão ali, acossados, desesperados, sem recursos e meios para escapar, a derrota parece iminente... eles nada podem fazer... Circunstâncias semelhantes a essa encontramos diversas vezes em nossas vidas!
Salmo 66.10: "Certamente a cólera do homem redundará em teu louvor". As pessoas que se julgam poderosas, que se julgam sempre certas, e de que nada as abalará, são quase invencíveis, cuidado com a mão de Deus! Pois Ele usará a maldade do homem para a Sua glória.
Faraó, em perseguição a Israel, quer destrui-lo, e para isso, usa de todo o seu poder, de todas as suas armas para aniquilar o povo de Deus. E o Senhor usará a cólera do homem para a Sua glória, mas o restante da cólera Ele a restringirá (Sl 66.10). Deus não permitirá que o mal nos vença, porque Ele não o permitirá além da Sua vontade; e não permitirá o mal na nossa vida além daquilo que é exclusivamente para a Sua glória. Amém, irmãos!
Os filhos de Israel temeram, e temeram muito, enquanto viam o exército inimigo chegar, e cada vez se aproximavam mais do mar. É possível imaginar a aflição deles; e as vezes, também é assim em nossas vidas. Somos afligidos, e nos preocupamos com os ataques de satanás, com o rumo que as coisas vão tomando, os problemas nos encurralando... e, então, vem o medo. Há uma doença moderna que é a sindrome do pânico, a qual leva as pessoas ao desespero, fruto das dúvidas, da inquietação com o futuro; e por fim, chegam ao pavor, sem saber como lidar com os problemas.
A Palavra de Deus diz que o povo de Israel estava em pânico, amedrontado, então, os hebreus clamaram ao Senhor! Graças a Deus porque temos a quem clamar!... E os irmãos têm clamado ao Senhor?... E os filhos de Israel clamaram ao Senhor. Que maravilha quando lembramos que o povo do Senhor são os filhos de Israel. Os irmãos se lembram quem era Israel? Israel era Jacó, e Jacó era um enganador, que se tornou Israel, príncipe de Deus, um servo do Senhor. Não devemos jamais nos esquecer da nossa identidade, e termos sempre em mente, de que somos servos do Senhor!... Outra coisa que devemos ter em mente é de que devemos, continuamente, clamar ao Senhor. O povo de Israel está clamando, mas não é um clamor de fé, porém, de medo. E não podemos amedrontar-nos pelas circunstâncias, mas ter os olhos fixados no Senhor.
Êxodo 14.11: "E disseram a Moisés: Não havia sepulcros no Egito, para nos tirar de lá, para que morramos neste deserto? Por que nos fizeste isto, fazendo-nos sair do Egito?". Claramente, Israel está amedrontado pela sua situação.
Versículo 12: "Não é esta a palavra que te falamos no Egito, dizendo: Deixa-nos, que sirvamos aos egípcios? Pois que melhor nos fora servir aos egípcios, do que morrermos no deserto". Mesmo clamando a Deus, mas diante da proximidade de Faraó, e da dificuldade em que se encontravam, Israel considerava melhor ser escravo do que morrer.
Irmãos, a escravidão é algo terrível com a qual nos acostumamos; e podemos nos habituar a servir ao diabo. Muitas vezes, preferimos nos render ao diabo do que sofrer e ser liberto por Deus.
Versículo 13: "Moisés, porém, disse ao povo: Não temais; estai quietos, e vede o livramento do Senhor, que hoje vos fará; porque aos egípcios, que hoje vistes, nunca mais os tornareis a ver". A fé não é algo que nasce de nossas entranhas, a fé não vem de nós, ela vem de Deus. Em Efésios 2.8: "Porque pela graça sois salvos, por meio da fé; e isto não vem de vós, é dom de Deus". A fé salvadora, aquela fé que salva é um dom de Deus. A graça, igualmente, é um dom de Deus.
Faraó era poderoso, tinha um exército de homens fortes, armados, acostumados a guerrear, mas não era maior do que o nosso Deus. Porque não há ninguém maior do que o nosso Deus. Amém, irmãos!
A Palavra de Deus diz mais: "O Senhor pelejará por vós, e vós vos calareis". Fantástico! Deus está nos dizendo: pare de murmurrar! Aquiete-se! Nenhuma circunstância, seja o exército do Egito ou as lutas que enfretamos, é maior do que o nosso Deus. Será que andamos assim diante do Senhor? Confiando e esperando n'Ele? Ou será que estamos tão angustiados que não nos calamos, e murmuramos por causa da situação pela qual passamos? As lutas têm nos aproximado do Senhor, ou nos afastado d'Ele?... Não temais; estai quietos, e vede o livramento que o Senhor nos dá! Está é a orientação de Deus para as nossas vidas.
Versículo 15: "Então disse o Senhor a Moisés: Por que clamas a mim? Dize aos filhos de Israel que marchem". O plano de Deus nem sempre parecerá ter lógica para nós, nem sempre parecerá certo, "Porque a loucura de Deus é mais sábia do que os homens; e a fraqueza de Deus é mais forte do que os homens" (1Co 1.25). O que Deus propõe a Israel parece-lhe estranho. O Senhor ordena que eles marchem, mas marchar para aonde? Para o lado de Faraó ou para o mar? Não é o que sucede muitas vezes conosco? No momento em que olhamos para um lado e para o outro, e dizemos a Deus: Senhor, me mostra o que fazer! Mas se Ele não nos dá direção, é porque quer que fiquemos onde estamos, naquele mesmo lugar, fazendo o que Ele nos mandou realizar. É tempo de esperar no Senhor... Estou passando por dificuldades, por apertos, devo continuar orando e buscando a Deus, a espera de que Ele faça a obra; e continuar firme nos caminhos do Senhor, porque os Seus cuidados são eternos e perfeitos, embora, nem sempre faça sentido para nós. A Palavra de Deus nos diz que os pensamentos do Senhor são mais altos do que os nossos pensamentos (Is 55.9). Graças a Deus por isso! Porque o nosso Deus faz tudo perfeito, e conforme lhE agrada.
Versículo 16: "E tu, levanta a tua vara, e estende a tua mão sobre o mar, e fende-o, para que os filhos de Israel passem pelo meio do mar em seco". O plano de Deus era que Israel passasse em seco pelo meio do mar... Em que estamos confiando, irmãos? Na sabedoria do mundo ou na loucura para o mundo que é a Palavra de Deus? Onde está depositada a nossa confiança? Faremos o que é necessário segundo o padrão do mundo, ou segundo a direção de Deus? São caminhos diferentes! As coisas do mundo têm uma lógica do mundo; mas, no plano de Deus que é perfeito, o plano do mundo não entra. Precisamos nos decidir, e escolher se seguimos conforme o plano de Deus, ou seguimos conforme o padrão do mundo... Nós veremos a glória salvadora do Senhor, mas o mundo verá a glória do Senhor na Sua ira!
Portanto, meus irmãos, a Palavra nos ensina a não invejar o homem mau. Não ter inveja daquele que peca e se deleita no pecado, não invejar aquele que prospera segundo a maldade do seu coração. Em breve ele será destruído. E Deus será glorificado na vida dos egípcios, e será glorificado na vida do povo de Deus.
Versículo 18: "E os egípcios saberão que eu sou o Senhor, quando for glorificado em Faraó, nos seus carros e nos seus cavaleiros". Deus está permitindo que os egípcios persigam a Israel, para ser glorificado por eles. O Senhor não tem prazer na morte do ímpio, mas é glorificado em todas as circunstâncias. Os egípicios, um povo desobediente, que não temia a Deus, que não quis ouvir a voz de Deus, e que buscava a destruição de Israel; a morte chegaria para eles, e a sua consequente destruição.
Versículo 19: "E o anjo de Deus, que ia diante do exército de Israel, se retirou, e ia atrás deles; também a coluna de nuvem se retirou de diante deles, e se pôs atrás deles". Israel estava sendo guiado por Deus em direção ao mar, e o anjo ia adiante dos hebreus. Mas no momento em que o exército de Faraó se aproximava, o anjo do Senhor se pôs atrás do povo de Deus. A Palavra diz que "O Senhor te guardará de todo o mal, e guardará a sua alma" (Sl 121.7); e "Mil cairão ao teu lado, e dez mil à tua direita, mas não chegará a ti" (91.7). Amém, irmãos!
Versículo 20: "E ia entre o campo dos egípcios e o campo de Israel; e a nuvem era trevas para aqueles, e para estes clareava a noite; de maneira que em toda a noite não se aproximou um do outro". A noite tornou-se em densa escuridão para os inimigos do Senhor, e aquele que lutar contra o Senhor aprofundar-se-á nas trevas. A escuridão nos enche de incertezas... Imagine-se em um lugar escuro, no meio da mata à noite, sem o luar e o brilho das estrelas, podendo ser surpreendido por animais selvagens, podendo cair em um buraco, ou mesmo em uma armadilha... são muitos perigos, e nos sentimos atemorizados. Faraó e o seu exército estavam em densas trevas, e o homem sem Deus está igualmente envolto em trevas.
Muitas vezes, nós, o povo de Deus nos preocupamos com os inimigos, esquecendo-nos de que, aqueles que são os nossos inimigos são também inimigos de Deus, o qual peleja por nós.
Versículo 21: "Então Moisés estendeu a sua mão sobre o mar, e o Senhor fez retirar o mar por um forte vento oriental toda aquela noite; e o mar tornou-se em seco, e as águas foram partidas". Na fuga de Israel pelo mar à noite, uma noite longa, Deus impediu que os carros de Faraó alcançassem o povo hebreu. Os egípcios não sabiam mas o Senhor estava agindo; tanto na vida do Seu povo como na vida dos Seus inimigos. E Ele realizou um milagre maravilhoso, partindo as águas do mar para o Seu povo atravessar.
Versículo 24: "E aconteceu que, na vigília daquela manhã, o Senhor, na coluna do fogo e da nuvem, viu o campo dos egípcios; e alvoroçou o campo dos egípcios. E tirou-lhes as rodas dos seus carros, e dificultosamente os governavam. Então disseram os egípcios: Fujamos da face de Israel, porque o Senhor por eles peleja contra os egípcios". Finalmente, ao amanhecer, os inimigos de Deus reconheceram que havia algo estranho, que o Senhor de Israel estava contra eles.
Irmãos, o Senhor dá muitas chances para um homem se arrepender, mas chega o momento em que Deus pesa a Sua mão. As dez pragas do Egito foram oportunidades para o Faraó temer a Deus e arrepender-se dos seus pecados. Mas a cada nova praga, o seu coração endurecia-se contra Deus. E agora, os egípcios percebiam que a mão de Deus pesava sobre eles.
Versículo 30: "Assim o Senhor salvou Israel naquele dia da mão dos egípcios; e Israel viu os egípcios mortos na praia do mar". Deus vingou o Seu povo, vingou a maldade dos inimigos de Israel.
Versículo 31: "E viu Israel a grande mão que o Senhor mostrara aos egípcios; e temeu o povo ao Senhor, e creu no Senhor e em Moisés, seu servo". Quando Israel viu o castigo dos ímpios, quando viu a maldade sendo punida, temeu ao Senhor, e creu.
Durante a nossa caminhada nesta vida, encontraremos muitos servos do Senhor, mas encontraremos também muitos inimigos do povo de Deus. Vamos orar por aqueles que ainda não conhecem ao Senhor, por aqueles que ainda não se arrependeram, peçamos a Deus pela vida deles, porque um dia desses eles enfrentarão o Senhor, e ninguem pode enfrentar o Senhor. Oremos a Deus para que derrame a Sua misericórdia sobre o nosso povo, porque todos carecem da Sua misericórdia... Não devemos nos angustiar pelas circunstâncias difíceis, nem por causa das pessoas que se opõem a Deus, mas devemos estar quietos, não temer, e marchar. O Senhor peleja por nós!

Santo Deus e Pai nós te louvamos e agradecemos. Vivemos num mundo cheio de impiedade, num mundo onde as pessoas não O temem, nem respeitam Suas leis, nem andar nos Seus caminhos. Estamos no mundo criado por Ti, e o Senhor não é respeitado nem amado. Sabemos que satanás tem dominado os corações e as mentes para que se revoltem contra Ti. E muitos cristãos estão amedrontados, sem saber o que fazer das suas vidas. A Tua Palavra nos mostrou que devemos ter fé, ter confiança, porque o Senhor peleja por nós. O Senhor ordena que marche; a marchar e confiar cada dia, certos de que o Senhor está cuidando de nós. Ajuda-nos a falar da Tua Palavra aos nossos queridos e familiares, para que não venham a se colocar na posição de inimigos do Senhor; e para aqueles que estão na posição de inimizade, que venham a se arrepender, e voltem-se para Ti. Pai, agradecemos pelo Teu cuidado para com nós, aumente-nos a nossa fé, e nos fortaleça a andar cada dia nos Teus caminhos. No nome santo de Jesus, amém!


Mensagem pregada no T.B.B. em 13 de Julho de 2008
Todos os versículos são da Almeida Corrigida e Fiel da S. B. T. B. (ACF)

sábado, 12 de julho de 2008

"SENHOR, LEMBRA-TE DE MIM!"

Pr. Luiz Carlos Tibúrcio

Quero ler hoje com os irmãos as Escrituras em Lucas, cap. 23.42: "E disse a Jesus: Senhor, lembra-te de mim, quando entrares no teu reino". Esta é uma palavra fantástica dita nas Escrituras; revelada-nos de uma forma estonteate; quanto esse ladrão, esse malfeitor, diz ao Senhor: "Lembra-te de mim, quando entrares no teu reino". Como ele chegou a ponto de dizer isso?; é o que devemos pensar, porque ele analisou a sua própria vida, e viu que era merecedor daquela morte horrível. E ainda assim, como ele podia fazer ao Senhor tal pedido? Pela sua vida, pelas suas atitudes, por tudo o que havia feito, aquele malfeitor deveria dizer: Senhor, não te lembres de mim!... Mas ele, pela graça de Deus, e por uma revelação de Deus, compreendeu o sacrifício de Jesus na cruz.
No versículo 33, lemos: "E, quando chegaram ao lugar chamado a Caveira, ali o crucificaram, e aos malfeitores, um à direita e outro à esquerda". A Palavra de Deus diz que o Senhor Jesus Cristo foi crucificado, e havia passado um tempo de agonia orando ao Pai, uma agonia tal que caiam gotas de sangue juntamente com o suor. Ele passaria por açoites, por flagelos e outras agressões, com uma coroa de espinhos cravada na cabeça; e o seu sofrimento era um sofrimento sobre-humano. Ele encontraria-se muito ferido, machucado. E o levariam ao lugar chamado Caveira, e ali, O crucificariam com os malfeitores. E Ele está passando por muito sofrimento...
No versículo 34, mesmo diante do sofrimento, a Palavra descreve que ainda assim aquele era um lugar de misericórdia: "E dizia Jesus: Pai, perdoa-lhes, porque não sabem o que fazem". Ainda que o Senhor esteja sofrendo, ainda que esteja tão machucado, e seja tão desprezado, Ele clama ao Pai que os perdoe.
Havia no local também zombarias: "E, repartindo as suas vestes, lançaram sortes. E o povo estava olhando. E também os príncipes zombavam dele, dizendo: Aos outros salvou, salve-se a si mesmo, se este é o Cristo, o escolhido de Deus. E também os soldados o escarneciam, chegando-se a ele, e apresentando-lhe vinagre. E dizendo: Se tu és o Rei dos Judeus, salva-te a ti mesmo. E também por cima dele, estava um título, escrito em letras gregas, romanas, e hebraicas: este é o rei dos judeus." (Lc 23.34-38). Essa foi a forma usada para escarnecerem-se do Senhor, e ainda, repartiram as suas roupas. Mas tudo isso era para que se cumprissem as Escrituras.
Ali, Jesus Cristo passou por um tempo de dor, de desprezo, de vergonha, despido de suas vestes; Ele que é o santo de Deus, está sendo humilhado e zombado por aqueles que tanto amou, e aos quais devotou o Seu ministério. E é nesse tempo, durante esse tempo, que o Senhor tem o encontro com aquele ousado homem, o qual lhe faz um pedido igualmente ousado.
No versículo 33, vemos que naquele lugar onde o Senhor foi crucificado, que durante aquele tempo, havia dois homens crucificados com Ele, um à sua direita, outro à sua esquerda... Ele tem um encontro com esses dois homens.
Lucas 19.10: "Porque o Filho do homem veio buscar e salvar o que se havia perdido". Como deve nos encher de alegria o coração este versículo juntamente com o trecho de Lucas 23! Não importa a circunstância da vida pela qual estamos atravessando, talvez seja neste exato lugar, neste exato momento, que o Senhor Jesus Cristo irá nos encontrar. A Palavra nos diz que o Senhor é homem de dores, e que sabe o que é o sofrimento. Cheio de compaixão, cheio de misericórdia, o Santo do Senhor estava ali na vida daqueles pecadores.
Algo fantástico... que devemos pensar (e o Senhor nos falará sobre isto), é de que, ao olharmos para a vida das pessoas, buscamos um pequeno sinal de que elas servem a Deus; e as vezes não vemos sinal algum. Mas na vida daqueles homens vemos todos os sinais de desprezo a Deus. Porque o Senhor disse: Não matarás! Não roubarás! Não cometerás adultério! E outras leis, e outros ensinamentos, que foram dados a todos os homens...
Ali, na Caveira, esse homem tem o encontro com o Senhor. Graças a Deus por isso, meus irmãos!
Lucas 23.39: "E um dos malfeitores que estavam pendurados blasfemava dele, dizendo: Se tu és o Cristo, salva-te a ti mesmo, e a nós". Um dos malfeitores dizia: Se você é o Cristo, livra-nos do sofrimento; se você é o que eles dizem ser, livra-nos desta punição, deste tormento, desta morte horrível.
Versículo 40: "Respondendo, porém, o outro, repreendia-o, dizendo: Tu nem ainda temes a Deus, estando na mesma condenação? E nós, na verdade, com justiça, porque recebemos o que os nossos feitos mereciam; mas este nenhum mal fez".
Sabe, nenhum criminoso, perante a Justiça é chamado a depor contra si mesmo; a lei o proteje de se incriminar a si mesmo. Mas a Palavra de Deus diz que se confessarmos os nossos pecados, Ele é fiel e justo para nos perdoar de toda a iniquidade. Amém, irmãos! Diferente da lei humana que nos garante o direito de ocultarmos os nossos pecados, a Palavra de Deus nos promete perdão pela confissão; confessar é concordar com Deus, é dizer a mesma coisa: sim, Senhor, eu pequei!
De uma forma maravilhosa esse homem, um pecador assumido, reconhece que a vida dele (para ter tal morte), não era uma vida de pequenos pecados e delitos, mas grandemente pecaminosa; ele era um criminoso, um criminoso de fato. E ele está diante do Senhor, que é santo, que é verdadeiro, e reconhece que é merecedor daquela condenação. Como alguém assim, podia clamar ao Senhor que se lembrasse dele? Ele está afirmando: Nós merecemos este castigo. Somos criminosos e fazemos jus a um castigo terrível; mas ele diz: "Senhor, lembra-te de mim quando entrares no teu reino". Que confiança ele tem no Senhor!
Alguns diriam: Olha, eu quero ver na vida desse ou daquele irmão algum sinal de que ele é cristão. E esse malfeitor, crucificado ao lado de Jesus, só tem sinais de maldade, e a própria confissão saída dos seus lábios o confirma. Quantos anos ele tinha? Talvez trinta, quarenta anos... As Escrituras não revelam a sua idade, mas uma vida de pecado e de desobediência a Deus. Como ele começou? Talvez com pequenos furtos, pequenas transgressões e maldades, desrespeitando os pais, rebelde na escola, fazendo uma pervesidade aqui outra ali; e finalmente, ele será morto, suas pernas serão quebradas, ele foi crucificado. Um final apavorante para a sua vida; mas numa atitude extraordinária e mesmo milagrosa, ele confessa os seus pecados.
Romanos 10.9-10, diz: "A saber: Se com a tua boca confessares ao Senhor Jesus, e em teu coração creres que Deus o ressuscitou dentre os mortos, serás salvo".
1 João 1.9: "Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados, e nos purificar de toda a injustiça".
Temos a promessa do Senhor, da Sua fidelidade em perdoar e purificar aqueles que lhE confessam os seus pecados. Que incentivo maravilhoso temos, para cada dia, para cada falha cometida, de chegar humildemente ao trono da graça do Senhor confessando os nossos pecados, e receber d'Ele o perdão.
Lucas 23.42: "Senhor, lembra-te de mim, quando entrares no teu reino". Versículo 43: "E disse-lhe Jesus: Em verdade te digo que hoje estarás comigo no Paraíso"... Prontidão de confissão, prontidão ainda maior de perdão. Na verdade, Deus permitiu que aquele malfeitor se encontrasse com o Senhor Jesus naquela cruz; e no pior dia da sua vida, no dia em que encontraria a sua punição merecida, ele encontraria o perdão, o amor de Deus, e a salvação em Cristo Jesus. Aquele foi um dia magnífico, o melhor dia na vida desse homem! Pois ele não podia fazer nada para se salvar... Diferente do jovem rico que se aproximou do Senhor e disse: Senhor, tenho observado todos os mandamentos, o que me falta para ser salvo?, o ladrão da cruz disse: Senhor, tenho transgredido todas as suas leis, tem misericórdia de mim quando entrar no Seu reino... O jovem rico que tinha guardado toda a Lei saiu triste, mas o malfeitor recebeu a promessa de estar eternamente com o Senhor.
Como é fantástico ver que todos os que se achegam ao Senhor recebem o gratuito perdão e a salvação; e ver que o Senhor, no momento mais difícil na vida daquele homem, com todos os seus crimes e pecados recaindo sobre ele, Jesus estava pronto a perdoá-lo.
Talvez esteja acontecendo isso na sua vida; as suas transgressões estejam sobre você, e o seus pecados o aproximam do abismo, pronto a destruir a sua vida; mas, neste momento, você tem a oportunidade de receber todo o amor e graça do Senhor nosso Deus.
Nenhum sacrifício ou esforço aquele homem fez para receber a salvação de Deus, a não ser reconhecer-se como pecador, e pedir pela misericórdia do Senhor.
Meus irmãos, esse pecador está dizendo: "Senhor, lembra-te de mim quando entrares no seu reino". O Senhor está aqui agora! O Senhor reina nos céus, e reina também aqui na Terra. E o Senhor tem prometido que jamais desamparará os seus. Não importa quais tipos de aflições nos afligem, nem o tamanho das angústias pelas quais passamos, o Senhor nos consolará a cada dia, nos fortalecerá e nos guiará, e em breve nos receberá em Seu reino de amor. Que alegria será quando encontrarmos com esse homem que foi salvo na cruz, com os santos que serviram ao Senhor, como João, Paulo, Pedro... os outros apóstolos e irmãos ao longo da história, mas como será ainda mais indizível e sublime encontrar o Senhor que nos salvou!
A Palavra de Deus diz que Ele ainda conservará as marcas do amor pelo Seu povo. E O veremos, e nos lembraremos das aflições que passamos um dia, e de como foi bom o encontro com o Senhor Jesus Cristo nosso salvador.
"Lembra-te de mim quando entrares no teu reino". Este foi o pedido daquele homem, o pedido que teve a resposta imediata e maravilhosa do Senhor: "Ainda hoje estaras comigo no Paraíso".
Que consolo devemos ter com as tribulações da vida, se sabemos que, um dia, estaremos com o nosso Deus! Temos um trabalho a fazer aqui, o trabalho de dizer a todas as pessoas que há salvação independente do tamanho do pecado, maior é o amor do nosso salvador. Amém, meus irmãos!

Sermão pregado em 06 de Julho de 2008, no T.B.B.
*Todos os versículos são transcritos da Bíblia Almeida Corrigida e Fiel da SBTB(ACF)

sábado, 5 de julho de 2008

AOS SIMPLES, PRUDÊNCIA!

Pr. Júlio César de Salles

Eu queria que os irmãos me ajudassem... e deixassem a nossa mente ser guiada pelo Espírito Santo em Provérbios 1.1-4, onde Salomão inicia identificando-se: "Provérbios de Salomão, filho de Davi, rei de Israel; para se conhecer a sabedoria e a instrução; para se entenderem, as palavras da prudência. Para se receber a instrução do entendimento, a justiça, o juízo e a eqüidade; para dar aos simples, prudência, e aos moços, conhecimento e bom siso"... para dar aos simples, prudência, e aos moços, conhecimento e bom siso... Há uma diferença entre o simples e o prudente; e a palavra de Deus nos ensina qual é essa diferença... Simples, no caso de nós, crentes, é uma pessoa sem convicção bíblica, sem convicção própria, uma pessoa levada por todo o vento de doutrina. E o prudente é aquele dotado de cautela, que é uma virtude, a qual nos faz prever e evitar os erros e perigos. Então, aqui temos um homem dizendo: "Jovens, vocês têm de sair da sua posição de simples para a de prudente".
Em 1 Samuel, o pai de Salomão agia com prudência, capítulo 18.5: "E saía Davi aonde quer que Saul o enviasse e conduzia-se com prudência, e Saul o pôs sobre os homens de guerra; e era aceito aos olhos de todo o povo, e até aos olhos dos servos de Saul". Davi era um homem prudente, pois, não podia sair à guerra sem a convicção das Escrituras, sem se aperceber dos perigos que certamente surgiriam. E essa cautela bíblica nos livrará de muitas situações constrangedoras. Continuando no Livro de Provérbios, 2.11: "O bom siso te guardará e a inteligência te conservará". O prudente tem bom siso, sabe discernir as situações; ele não anda com a mente vazia, é cauteloso e previdente.
Em provérbios 10.13, está escrito: "Nos lábios do entendido se acha a sabedoria, mas a vara é para as costas do falto de entendimento". Vemos aqui novamente que Salomão mede as palavras, e de que, as suas palavras têm um peso eterno. O simples fala o que lhe vem à mente, e muitas vezes, impensadamente ele machuca as pessoas, e condená-as.
Outra característica do prudente em relação aos simples está expressa no cap. 14.8: "A sabedoria do prudente é entender o seu caminho, mas a estultícia dos insensatos é engano". Vemos que o prudente tem algo de vida, não vive aleatoriamente; ele procura entender os caminhos de Deus, buscando-O na oração, e assim, saber o plano de Deus para a sua vida.
No Cap. 15.15, Salomão continua a mostrar os problemas em se ser simples: "Todos os dias do oprimido são maus, mas o coração alegre é um banquete contínuo". O prudente sabe resguardar o gozo dele no Senhor, a alegria dele não é baseada nas circunstâncias, como o simples se baseia, e ele não anda de "vento em polpa", porque ele sabe que os seus dias estão nas mãos de Deus.
Cap. 20.3: "Honroso é para o homem desviar-se de questões, mas todo tolo é intrometido". Outra característica é que ele não entra em confusão, pois a prudência nos livra de muitas situações desgostosas e as vezes trágicas; devido à orientação do Espírito Santo, diante da face de Deus, ele desvia-se de contendas, em confusões e disputas onde não é chamado.
Cap. 22.3: "O prudente prevê o mal, e esconde-se; mas os simples passam e acabam pagando". O prudente, guiado pela palavra e pela vontade de Deus, discernindo as situações, não julgando mas discernindo, ele sabe prever o mal... Muitas vezes irmãos, entramos em confusões porque nos comportamos como simples; e deixamos de ser cautelosos como a palavra nos ordena que sejamos. Se buscarmos a sabedoria de Deus, certamente nos resguardaremos de muitos problemas, e de muitas situações embaraçosas e tristes.
Cap. 27.12: "O avisado vê o mal e esconde-se; mas os simples passam e sofrem a pena". Aqui é uma repetição do mesmo provérbio; Salomão repete o mesmo provérbio e nos diz que o prudente evita se expor, não dá os seus sentimentos a qualquer um, ele guarda os seus segredos com Deus... quantas vezes consultamos a carne e o sangue, enquanto Deus está falando conosco: "Olha para mim primeiro!". Às vezes, Deus coloca projetos em nossos corações, e com a alegria e empolgação procedemos como simples, e entregamos diretamente a outros homens os tesouros que Ele nos tem dado... Irmãos, somos chamados sempre, e desde o princípio, a sermos prudentes.
Provérbios 8.5: "Entendei, ó simples, a prudência; e vós, insensatos, entendei de coração". Novamente temos o mesmo chamado de Deus: entender a prudência.
Provérbios 14.15: "O simples dá crédito a cada palavra, mas o prudente atenta para os seus passos"... O simples dá crédito a cada palavra... Aqui o ensinamento não tem nada a ver com estudo, posição, status, profissão, nem mesmo o dom da igreja; mas o de que o simples não tem convicção própria, nem convicção bíblica; e Deus nos exorta a não se dar crédito a cada palavra, a examinar e discernir com crítério, com sabedoria, tudo o que nos é dito.
Este versículo tem conexão com 1 Jo 4.1-3: "Amados, não creiais a todo o espírito, mas provai se os espíritos são de Deus, porque já muitos falsos profetas se têm levantado no mundo. Nisto conhecereis o Espírito de Deus: Todo o espírito que confessa que Jesus Cristo veio em carne é de Deus; e todo o espírito que não confessa que Jesus Cristo veio em carne não é de Deus; mas este é o espírito do anticristo, do qual já ouvistes que há de vir, e eis que já está no mundo". Então, vemos que o simples dá crédito a toda palavra, sem o pré-julgamento de Deus; mas aqui o apóstolo João nos diz para sermos prudentes, e vermos se as palavras procedem de Deus.
1Co 2.15: "Mas o que é espiritual discerne bem tudo, e ele de ninguém é discernido". O homem espiritual é prudente, ele distingue todas as coisas, usando o dom de discernimento do espírito, julga as intenções e evita contendas; e não é discernido por ninguém. Ele não é o melhor, mas não é simples, ele está a par da verdade; porque, estando com a verdade, estamos com tudo, porque Cristo é a verdade. Amém,irmãos!
O prudente tem o estilo de atrair as pessoas. Provérbios 14.18: "Os simples herdarão a estultícia, mas os prudentes serão coroados de conhecimento". Dá gosto estar do lado de um prudente, é um conhecimento sem soberba, sem arrogância, não é um conhecimento que está acima de nós; ele compartilha, é um braço amigo; e graças a Deus isto acontece aqui no corpo local, onde temos muitos irmãos prudentes, e isto é prazeiroso para nós, nos traz gozo e a edificação da igreja.
Provérbios 19.11: "A prudência do homem faz reter a sua ira, e é glória sua o passar por cima da transgressão". Esta pessoa se torna longânima, ela não julga, não critica e está sempre aberta a nos ouvir. Em 19.22: "O que o homem mais deseja é o que lhe faz bem; porém é melhor ser pobre do que mentiroso". Nós desejamos pessoas que nos façam bem, porque Deus colocou esse desejo no nosso coração de buscarmos ao prudente, porque a pessoa carregada de sabedoria é uma pessoa saborosa... a raiz da palavra sabedoria vem da palavra sabor, e uma das características da sabedoria é o sabor, dá gosto estar próximo de um sábio...
Outra característica maravilhosa do prudente é que ele tem o dom da privacidade. Ao contrário do simples que sai contando tudo o que ouve a torto e a direito, fofocando, o prudente não sai contando de nossa vida, nem fazendo intrigas. Provérbios 10.12: "O ódio excita contendas, mas o amor cobre todos os pecados"; completanto com Provérbios 12.16: "A ira do insensato se conhece no mesmo dia, mas o prudente encobre a afronta"... Sabe aquele saborzinho que o simples tem em espalhar notícias, em mexericar e maldizer, o prudente não tem. Ele se resguarda, nos ama, nos acolhe.
Em Eclesiastes 1.8: "Todas as coisas são trabalhosas; o homem não o pode exprimir; os olhos não se fartam de ver, nem os ouvidos se enchem de ouvir". O simples olha para todos os lados, ele não controla o seu olhar, dá crédito a toda palavra; os olhos nunca se contentam, assim como a carne nunca se contenta, mas o prudente ele se concentra em Deus, ele olha para Deus, amém irmãos! Hebreus 12.2 fala que o prudente olha para Jesus, o autor e consumador da nossa fé; o simples anda com a mente vazia, olhando para todo lado, flertando com o pecado.
Em Jó 31.1: "Fiz aliança com os meus olhos; como, pois, os fixaria numa virgem?". Ele não olhará para outra donzela; ele era prudente, não olhava com o olhar para cair no laço da simplicidade, fora da prudência de Deus.
Voltando a Eclesiastes 1.13: "E apliquei o meu coração a esquadrinhar, e a informar-me com sabedoria de tudo quanto sucede debaixo do céu; esta enfadonha ocupação deu Deus aos filhos dos homens, para nela os exercitar". Versículo 14: "Atentei para todas as obras que se fazem debaixo do sol, e eis que tudo era vaidade e aflição de espírito". Quando não disciplinamos os nossos olhos, ficamos com o espírito aflito, agimos como simples, olhando para todo o lado, e então, a aflição do espírito nos toma.
Versículo 17: "E apliquei o meu coração a conhecer a sabedoria e a conhecer os desvarios e as loucuras, e vim a saber que também isto era aflição de espírito". Isso é correr atrás do vento, ficar com o espírito angustiado; e Salomão sentencia finalmente no versículo 18: "Porque na muita sabedoria há muito enfado; e o que aumenta em conhecimento, aumenta em dor".
Oh, como eu prefiro a prudência dos caminhos de Deus, permanecer em Sua prudência, passar como um bobo mas ser feliz com Cristo! Amém!...Ao invés de buscar aumentar a ciência, a filosofia, os diplomas, andando atrás das coisas mundanas e rebaixar o valor da palavra de Deus.
Devemos estar atentos para não cairmos no engano... "Tampouco apliques o teu coração a todas as palavras que se disserem, para que não venhas a ouvir o teu servo amaldiçoar-te" (Ecl 7.21). Quantas vezes Deus, na Sua divina providência, debaixo da Sua presciência tem nos poupado de ouvir todas as coisas, pois não suportamos todas as coisas... então, não apliques o teu coração a todas as coisas. Não se preocupe com as notícias dos jornais pela manhã, antes de fazer o seu devocional; esqueça o noticiário da noite e os filmes, se você não concluiu a sua leitura bíblica diária... não se encha das mensagens do mundo, mas antes buscai a prudência na edificação da palavra de Deus. Não aplique ao seu coração todas as coisas... Quantas vezes trocamos as delícias da palavra de Deus por notícias as quais não edificam e não nos levam a nada. O apóstolo João nos alertou de que o mundo jaz no maligno. Não é vantagem conhecer todas as coisas; é vantajoso ser prudente e conhecer a vontade de Deus em nossas vidas.
Em Lucas 13.1-3, alguns contemporâneos do Senhor Jesus queriam desviar-lhe a atenção com o noticiário da época. Jesus havia acabado de dar sentenças eternas, carregadas de prudência divina, e as pessoas tencionavam, com a simplicidade das notícias, distrai-lO. Não é o que nos acontece hoje, quando muitas pessoas desejam tirar a nossa atenção de Deus com a simplicidade das notícias dos homens? "E, naquele mesmo tempo, estavam presentes ali alguns que lhe falavam dos galileus, cujo sangue Pilatos misturara com os seus sacrifícios. E, respondendo Jesus, disse-lhes: Cuidais vós que esses galileus foram mais pecadores do que todos os galileus, por terem padecido tais coisas? Não, vos digo; antes, se não vos arrependerdes, todos de igual modo perecereis". Este era um fato que estava no auge à época, uma história que estaria na primeira página dos jornais, e nas chamadas de tv, se houvesse mídia. E esses homens pretendiam desviar a atenção do Senhor Jesus, que promulgara uma sentença tão importante; mas Ele percebeu um espírito de autocomplacência naqueles homens; e respondeu-lhes, revelando saber não só aquela notícia, mas muito mais. E de que o intento deles jamais O demoveria de cuidar das coisas de Deus; mostrando-lhes qual era a real notícia, aquela com a qual eles deveriam se preocupar e guardar as suas atenções e mentes... o Senhor manda-os aterrizar, e não se contentarem por estar livres do crime de Pilatos.
Aqueles galileus julgavam que, por não terem morrido pela espada dos soldados romanos, de terem escapado da morte, era o sinal de que Deus os aprovava em suas vidas pecaminosas. Mas Cristo, respondendo-os, no versículo 2, mostra que tantos aqueles galileus mortos como eles eram igualmente pecadores diante de Deus, e de que não estariam livres da sentença divina.
Os simples estão completamente enganados em relação à providência de Deus, e à vida, mas os prudentes compreendem que uma calamidade particular não é medida nem sinal de culpa específica dos que a sofrem.
Os simples pensam que os acontecimentos na vida dos outros são juízos, esquecendo-se de que também estão no meio do caminho. Os galileus queriam mostrar a Jesus que aquele fato isolado era geral, provando assim que eles eram bons, que por isso não tinham morrido debaixo da sentença de Pilatos; mas o Senhor mostrou-lhes que não eram menos pecadores do que os que haviam perecido nas mãos dos romanos.
O prudente não fica alheio... No versículo 4, Jesus dá-lhes outra notícia da época: "E aqueles dezoito, sobre os quais caiu a torre de Siloé e os matou, cuidais que foram mais culpados do que todos quantos homens habitam em Jerusalém? Não, vos digo; antes, se não vos arrependerdes, todos de igual modo perecereis". O simples julga sem conhecimento real da sua situação, o prudente discerne, não trocando o eterno pelo passageiro, visualizando a urgência da hora, medindo as palavras. Jesus revela àqueles homens que Ele não era alienado; deu-lhes outra notícia, revelando-lhes a atemporalidade das Suas palavras, enquanto eles, como simples, davam crédito às coisas temporais.
Irmãos, quantas vezes julgamos irmãos, crendo que estão trilhando caminhos errados, e procedemos como simples, sem conhecer o propósito de Deus, confundindo o discernimento de espírito com julgamento, tentando descobrir o que há na mente das pessoas?
Sabemos que nos capítulos 6 a 9, Jesus pronunciou a iminente destruição de Jerusalém 40 anos depois; e muitos dos que estavam ali diante do Senhor, tentando desviar a Sua atenção, foram mortos e tiveram o seu sangue misturado pelas tropas de Tito.
O simples julga sem saber da sua situação, ele quer tirar a urgência da palavra de Deus, mas Cristo revela que o prudente não é alienado.
Provérbios 19.25: "Açoita o escarnecedor, e o simples tomará aviso; repreende ao entendido, e aprenderá conhecimento". Jesus feriu o simples com as Suas palavras, para que eles aprendessem.
Mateus 10.16: "Eis que vos envio como ovelhas ao meio de lobos; portanto, sede prudentes como as serpentes e inofensivos como as pombas". Jesus nos chama a um estágio além, de que não sejamos simples, mas capazes de discernir os lobos, os espíritos... seja portanto prudente como as serpentes e inofensivo como as pombas. Inofensivo no sentido de ser prudente, mas sem orgulho. Cuidado, irmãos! Porque quanto mais cuidado, mais será exigido. Paulo nos diz em Romanos: amai o debil da fé. Independente do grau de maturidade que ele tenha, devemos amá-lo.
Para terminar, provérbios 12.23: "O homem prudente encobre o conhecimento, mas o coração dos tolos proclama a estultícia". O prudente oculta o conhecimento, ele é inofensivo como pomba, não é orgulhoso, não sai exibindo aquilo que tem, nem esnobando, mas oculta o conhecimento, resevando as suas energias para gastá-las com os necessitados...
Irmãos, temos de ser prudentes na urgência do tempo, não jogar pérolas aos porcos; não sermos soberbos nem vaidosos, mas amarmos os fracos na fé; servindo a Deus na prudência bíblica, para louvor e honra e glória d Seu santo nome.

Sermão pregado em 29 de Junho de 2008, no T.B.B.
*Todos os versículos são transcritos da Bíblia Almeida Corrigida e Fiel da SBTB (ACF)