.

.
Página de doutrina Batista-Calvinista. Cremos na inspiração divina, na inerrância e infalibilidade das Escrituras Sagradas; e de que Deus se manifestou em plenitude no seu Filho Amado Jesus Cristo, nosso Senhor e Salvador, o qual é a Segunda Pessoa da Tri-unidade Santa
CLIQUE, NO TÍTULO DE CADA UMA DAS POSTAGENS, PARA ACESSAR O ÁUDIO DO SERMÃO OU ESTUDO

quarta-feira, 24 de dezembro de 2008

CONFIANDO NA SABEDORIA DE DEUS - PARTE 2










Pr. Luiz Carlos Tibúrcio


Na semana passada estivemos pensando nesses versículos de Paulo aos Coríntios. Continuando, meditemos sobre o que a Palavra de Deus nos revela hoje:

1 Coríntios 2. 4-5: “E a minha palavra, e a minha pregação, não consistiram em palavras persuasivas de sabedoria humana, mas em demonstração de Espírito e de poder; Para que a vossa fé não se apoiasse em sabedoria dos homens, mas no poder de Deus” .
- Paulo disse que foi aos Coríntios apresentar a palavra de Deus e o poder de Deus, e não palavras de persuasão humana.
- No domingo passado, pensamos sobre como o desenvolvimento tecnológico e científico tem avançado em nossos dias, e ainda assim, o homem está perdido como ovelha sem pastor; e quão vã tem sido a sabedoria humana nos momentos em que se precisa de respostas; e como o desespero e a angústia não podem ser aplacados pela sabedoria do homem; pensamos também no chamado que a igreja tem feito ultimamente aos homens, utilizando-se de métodos humanos, alheios à Palavra de Deus a fim de atraí-los.
- O apóstolo Paulo mostra-nos que não usou de sabedoria humana, nem de métodos humanos, mas sua pregação era no Espírito e poder de Deus.
- As táticas que muitas igrejas têm utilizado são frontalmente contrárias à pregação de Paulo, e do que nos revela toda a Bíblia. Ele não era um conferencista que se utilizava da auto-ajuda, da psicologia, do pragmátismo afim de alcançar os perdidos. Não. Paulo pregava o Evangelho de Cristo em temor e tremor, pelo poder de Deus, não na eloquência, na retórica, no convencimento humano.
- Quando vemos aqui em nossa igreja os jovens e adultos, há de se perguntar: Como está a vida dos irmãos? Como está o seu relacionamento com Deus?

Efésios 3.8: "A mim, o mínimo de todos os santos, me foi dada esta graça de anunciar entre os gentios, por meio do evangelho, as riquezas incompreensíveis de Cristo".
- As igrejas estão preocupadas em se as pessoas virão a ela, e preocupadas em agradar as pessoas, para que sintam-se bem nelas; são novidades a cada culto, músicas animadas, pirotecnia, espalhafato. Mas Paulo fala em levar ao homem a graça do Evangelho, e as riquezas incompreensíveis de Cristo através da mensagem que lhe foi dada.

Romanos 11.33: "Ó profundidade das riquezas, tanto da sabedoria, como da ciência de Deus! Quão insondáveis são os seus juízos, e quão inescrutáveis os seus caminhos! Por que quem compreendeu a mente do Senhor? ou quem foi seu conselheiro?".
- Paulo fala da grande salvação de Deus para os homens.
- Uma coisa é certa: partiremos deste mundo, e nossos queridos também. Todos nós estaremos cedo ou tarde diante da morte.
- Há riquezas que não podem ser medidas: as areias das praias e dunas, as estrelas do céu, nem a água do mar pode ser medida, mas algo impossível de ser medido é o amor de Deus para salvar o pecador.

Efésios 3.9: "E demonstrar a todos qual seja a comunhão do mistério, que desde os séculos esteve oculto em Deus, que tudo criou por meio de Jesus Cristo".
- A pregação de Paulo mostra-nos o plano de Deus que esteve oculto, o qual estava na mente e no coração do Todo-Poderoso, decretados e determinados por Deus em toda a eternidade, agora é-nos revelado.
- Por meio de Cristo todas as coisas foram criadas, e foram reconciliadas.
- A Palavra de Deus diz que no princípio era o Verbo e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus... No princípio Deus criou... E Jesus Cristo nos reconciliou.

Efésios 2.14: "Porque ele é a nossa paz, o qual de ambos os povos fez um; e, derrubando a parede de separação que estava no meio, na sua carne desfez a inimizade, isto é, a lei dos mandamentos, que consistia em ordenanças, para criar em si mesmo dos dois um novo homem, fazendo a paz, e pela cruz reconciliar ambos com Deus em um corpo, matando com ela as inimizades".
- A reconciliação entre Deus e o povo de Deus, o qual era inimigo de Deus, estava apartado dEle, pelo eterno propósito do Senhor nos trouxe à reconciliação em Cristo.
- Deus manifesta em nós, através da Igreja, o eterno plano de redenção e salvação do homem.
- A Igreja não precisa de distração, nem subterfúgios, ou em ser atração. Ela necessita pregar a Palavra de Deus, que é o poder de Deus para a salvação do homem.
- A minha vida sem Deus é sem sentido.
- A Igreja pregando outro evangelho, é uma reunião sem sentido que não agrada a Deus, e nem pode proclamar a salvação.
- Porque tantas pessoas estão cantando, fazendo especiais dentro da igreja, e amanhã voltam as costas para ela? Porque muitos que hoje estão na igreja, amanhã se desviam?... É fácil você gastar uma fortuna com bebidas, com músicas mundanas, jóias, com o consumismo desenfreado e tolo do mundo, com roupas caríssimas e uma série de "equipamentos" desnecessários em casa. É muito fácil perder-se todo o tempo do mundo com a tv, novelas, shows, fofocas e uma gama de futilidades sociais, mas é difícil, muito difícil gastar o tempo com as coisas de Deus. O culto pode ser cansativo e demorado, mas você pode jogar video-game a tarde toda, ou assistir tv do amanhecer até a madrugada.
- Permancer na presença de Deus pode ser muito difícil, impossível, se a pregação não for o Evangelho de Cristo.
- O Evangelho pregado fora da Palavra de Deus não traz alegria para vida, nem produz a salvação do ímpio; antes, o mantém morto.

Colossenses 1.20: "E que, havendo por ele feito a paz pelo sangue da sua cruz, por meio dele reconciliasse consigo mesmo todas as coisas, tanto as que estão na terra, como as que estão nos céus. A vós também, que noutro tempo éreis estranhos, e inimigos no entendimento pelas vossas obras más, agora contudo vos reconciliou".
- Éramos inimigos por nossas obra más, mas Deus nos reconciliou consigo.
- Em Sodoma e Gomorra os anjos estiveram ali para a condenação daquelas cidades.
- Toda vez que fazemos a vontade da carne ao invés da vontade de Deus, estamos no curso de satanás, realizando a sua vontade. E estamos em oposição a Deus.
- O Senhor virá com os Seus anjos para julgar a terra, e trazer condenação àqueles que permaneceram desobedientes a Deus.

Efésios 3.10: "Para que agora, pela igreja, a multiforme sabedoria de Deus seja conhecida dos principados e potestades nos céus".
- A Igreja manifestará a multiforme sabedoria de Deus. Os anjos conhecerão através das nossas vidas transformadas o poder de Deus na regeneração do homem caído.
- O cristão não é aquele que hoje serve ao Senhor na Igreja, e amanhã não serve mais. O Cristão é aquele que sempre servirá a Deus, e será transformado à imagem de Cristo.
-Através de nós os anjos conhecerão a sabedoria e o amor de Deus.

1 Coríntios 2.7: "Mas falamos a sabedoria de Deus, oculta em mistério, a qual Deus ordenou antes dos séculos para nossa glória; a qual nenhum dos príncipes deste mundo conheceu; porque, se a conhecessem, nunca crucificariam ao Senhor da glória".
- O mundo nunca conheceu a sabedoria de Deus, mas Ele sabe o que está no coração de cada um dos homens. E o coração que não tem Deus é um coração cheio de maldade e iniquidade.
- Nicodemus ouviu do Senhor: Necessário é nascer de novo. Para se ter comunhão com Deus o homem precisa do novo-nascimento.
- A pregação de Paulo é a pregação do poder de Deus, de que precisamos morrer para o mundo para servir a Deus, de que Ele transforma e restaura o que estava perdido.
- Há muito mais do que sabedoria humana. A pregação do Evangelho é loucura para a sabedoria humana, é loucura para os gregos, e inconcebível para os judeus. Mais do que as maravilhas que Ele operou, Cristo veio transformar vidas.

João 10.9: "Eu sou a porta; se alguém entrar por mim, salvar-se-á, e entrará, e sairá, e achará pastagens. O ladrão não vem senão a roubar, a matar, e a destruir; eu vim para que tenham vida, e a tenham com abundância".
- Há caminhos que levam à morte, são estradas sem volta. Mas Jesus Cristo é o caminho que levará, indubitavelmente, à vida eterna.
- Satanás veio para roubar, matar e destruir, e ele é o inimigo do homem.
- Certa vez, numa festa, percebi que algumas pessoas que frequentaram a igreja por algum tempo estavam com as mãos para trás. Elas escondiam cigarros, copos de bebidas de mim; mas que grande bobagem, se não podem esconder nada de Deus. Estes são caminhos de morte: o alcoolismo, a prostituição, as drogas...
- Muitos lares estão se desfazendo neste momento; outras pessoas sofrem violência; as notícias são cada dia piores. Esse é o propósito de Satanás.
- Porém, o propósito de Cristo é nos dar vida, e vida em abundância. Não uma vida de fartura, de desperdício material, mas uma vida repleta de paz com Deus.
- A paz somente é possível quando estamos em paz com Deus. Cristo veio para cuidar das Suas ovelhas, para dar-lhes vida.

1 Coríntios 2.1: "E eu, irmãos, quando fui ter convosco, anunciando-vos o testemunho de Deus, não fui com sublimidade de palavras ou de sabedoria. Porque nada me propus saber entre vós, senão a Jesus Cristo, e este crucificado".
- Paulo diz aos coríntios que não foi levar nada mais do que Cristo crucificado.
- Interessante como o apóstolo não foi levar uma mensagem de auto-ajuda. Uma mensagem de auto-ajuda é mais ou menos assim: confie em você, tenha uma força em você que vai guiá-lo ao bem, e vai levá-lo a superar os limites; você é bom, não perca a esperança em si mesmo, da mesma forma que outros fazem você também pode fazer...
Paulo não tinha mensagem psicológica, mas a sua mensagem era Cristo crucificado, poder de Deus para transformar o pecador.
- Durante as pregações de Paulo o poder de Deus se manifestava, através da conversão de vidas, da transformação de vidas e corações, do consolo que a Palavra de Deus traz.
- As vezes estamos tão angustiados que nada pode tirar a nossa dor, mas as Escrituras nos diz que o Espírito Santo nos consola.
- As vezes estamos tão perdidos que não encontramos saída, mas Cristo diz: "Eu sou o caminho, a verdade e a vida, ninguém vem ao Pai senão por mim".
- A Igreja tem uma mensagem: a sabedoria humana aponta para morte; mas na Palavra de Deus há vida, porque Cristo morreu por nós, para que pudéssemos ter vida.

Resumo da mensagem pregada no TBB: Dezembro de 2008.
Todos os versículos da Almeida Corrigida e Fiel da SBTB(ACF)

segunda-feira, 15 de dezembro de 2008

CONFIANDO NA SABEDORIA DE DEUS – PARTE 1










Pr. Luiz Carlos Tibúrcio

O texto para a pregação de hoje é:

1 Coríntios 2. 4-5: “E a minha palavra, e a minha pregação, não consistiram em palavras persuasivas de sabedoria humana, mas em demonstração de Espírito e de poder; Para que a vossa fé não se apoiasse em sabedoria dos homens, mas no poder de Deus” .
- Algo que se vê no mundo atual, claramente, é que a ciência tem se multiplicado.
- E o que se vê também é que o conhecimento de Deus tem diminuído.
- À medida que o conhecimento humano cresce, reduz-se o conhecimento de Deus, ao ponto do homem desprezá-lo mais e mais.
Isaías 1.3: “O boi conhece o seu possuidor, e o jumento a manjedoura do seu dono; mas Israel não tem conhecimento, o meu povo não entende”.
- Os animais conhecem o seu dono. O boi, que não é um animal de proeminente inteligência, conhece o seu dono quando ele se aproxima.

- O boi tem uma atitude diante do seu dono. Porém o homem não. Ele não importa-se com o Senhor como aquele que o criou.
- O homem ignorou completamente a Deus.
Hebreus 3.10: “Por isso me indignei contra esta geração, E disse: Estes sempre erram em seu coração, E não conheceram os meus caminhos”.
- O homem não conhece os caminhos do Senhor.
João 1.10: “Estava no mundo, e o mundo foi feito por ele, e o mundo não o conheceu”.
- As pessoas não O receberam, não O amaram, O desprezaram, não fazendo caso de Jesus... A atitude do homem é a de rejeitar, deliberadamente, o nosso Senhor.
1 João 3.1: “Vede quão grande amor nos tem concedido o Pai, que fôssemos chamados filhos de Deus. Por isso o mundo não nos conhece; porque não o conhece a ele”.
- O conhecer aqui se relaciona com a atitude de amor; portanto, o mundo não faz caso do Senhor, não quer recebê-lO, não O ama, e também não tem amor para conosco.

- Há pessoas que sentiam antipatia por mim, e depois vim a saber que era exclusivamente por eu ser cristão.
- Pois da mesma forma que odiaram a Jesus, o mundo nos odeia, persegue e despreza.
- Esta situação deve ser de alegria para nós, porque como Cristo foi perseguido pelo mundo, nós também seremos. E assim cumpre-se a vontade de Deus, e sofremos por amor a Ele.
- A ciência avança, e alguém disse que poderemos viver 150 anos no futuro próximo; mas o salmista disse que o tempo de vida do homem seria de 70 anos, e esse era um tempo de canseira e enfado... tempo de doenças, de se tomar remédios...
- Infelizmente, o homem conhece apenas esta vida, por isso ele busca insistentemente mantê-la a todo custo, sem se ater que, ela é uma dádiva de Deus, algo que o próprio Deus nos deu; e vive-se sem que haja o menor desejo de glorificar ao Criador; não O reconhecem, nem o amam, nem o reverenciam... há somente uma atitude de indiferença, de afastar-se ainda mais dEle.
2 Timóteo 3.6: “Porque deste número são os que se introduzem pelas casas , e levam cativas mulheres néscias carregadas de pecados, levadas de várias concupiscências; Que aprendem sempre, e nunca podem chegar ao conhecimento da verdade”.
Versículo 5: “Tendo aparência de piedade , mas negando a eficácia dela . Destes afasta-te”.
- As pessoas que eram introduzidas na igreja negavam a palavra de Deus.

- Os cristãos são bombardeados pela sabedoria humana; e a questão é que os homens aprendem, aprendem, e nunca chegam ao conhecimento da verdade.
- Eu vi uma jovem num salão que raspava os cabelos. Então, após terminar de raspá-los, ela se dissolveu em lágrimas... colocou uma peruca, sentou-se no banco do seu carro. O carro dela é um ecosport, e ele fala algo sobre ela. Provavelmente ela é uma pessoa envolvida em causas ambientais, com um estilo de vida saudável... Talvez não seja nada disso, mas certamente tem valores que estão incutidos nesse bem... E ali estava ela, sentada no seu carro, pranteando... E me levou a perceber que o mundo tem dado ao homem um conhecimento que não pode salvá-lo, que o mantém perdido, sem saber aonde ir. Seus valores são amontoados de nada, porque não têm o conhecimento de Deus.
Enquanto estão jovens, podem praticar esportes, ter uma vida boa, não fazem caso de Deus. Porém, quando esse conhecimento precisa lhes valer, perceberão que todo ele vale absolutamente nada, pois falta-lhes conhecer o Senhor.
- A palavra de Deus diz que o homem plantou e encheu grandes celeiros, e ele admirava-se do quanto conquistara, porém, o Senhor lhe diz: Louco! Hoje mesmo lhe será pedida a sua alma.
- Não conhecer a Deus é a atitude mais louca que alguém pode ter. É um devaneio...
- O salmista diz: Elevo meus olhos ao monte, de onde virá o meu socorro, o meu socorro vem do Senhor!
- O câncer é uma doença que desfigura, que abate, que faz sofrer, e, na maioria das vezes, mata. E aquela jovem, passando por uma situação dificílima, está confiada em nada.
Atos 4.12: “E em nenhum outro há salvação, porque também debaixo do céu nenhum outro nome há, dado entre os homens, pelo qual devamos ser salvos”.
- Não há outro meio de salvação. Somente em Cristo e por Cristo somos salvos.

- Estar frente a frente, cara a cara com a morte é algo terrível, mas estar sem salvação é algo infinitamente pior.
- É doloroso ver alguém assim sem esperança; não sabendo e não querendo saber que há salvação em Cristo.
- Por isso Paulo disse: Irmãos, não fui até vocês com sabedoria humana.
- Os homens doutos, influentes pensadores e vultos da história não têm resposta para a grande pergunta do homem: o que será depois desta vida? Mas a palavra de Deus responde: Em Cristo há salvação, para todo aquele que crê, para que não pereça, mas tenha a vida eterna. Esta é a resposta para o desolado, o abatido, o derrotado... É a resposta que os homens não quiseram ouvir.
Oséias 4.6: “O meu povo foi destruído, porque lhe faltou o conhecimento; porque tu rejeitaste o conhecimento, também eu te rejeitarei, para que não sejas sacerdote diante de mim; e, visto que te esqueceste da lei do teu Deus, também eu me esquecerei de teus filhos”.
- Os sacerdotes esqueceram da Lei de Deus.

- Paulo não foi anunciar a sabedoria humana, mas a palavra de Deus.
1 Coríntios 2.2: “Porque nada me propus saber entre vós, senão a Jesus Cristo, e este crucificado”.
- Paulo tinha uma mensagem para a igreja de Coríntios: Cristo crucificado!

- O mundo não quer ouvir a palavra de Deus, e a igreja tem desistido de pregar Cristo crucificado, o Evangelho da salvação, do arrependimento, da reconciliação com o Todo-Poderoso.
- Temos vivido um tempo difícil e desastroso, tempo de pouco testemunho cristão, em que se confia em promessas que Deus não fez, e se tem perdido o zelo por Ele e Sua palavra.
1 Timóteo 6.20: “Ó Timóteo, guarda o depósito que te foi confiado, tendo horror aos clamores vãos e profanos e às oposições da falsamente chamada ciência; A qual professando-a alguns, se desviaram da fé. A graça seja contigo. Amém”.
- Falsa ciência introduzida afastou alguns da fé.
- Vivemos um tempo difícil para a igreja. Um tempo que parece nos trazer coisas novas, mas que, de certa forma, existia algum tempo atrás.
- A pregação tem sido adequada àquilo que as pessoas querem fazer, querem ouvir para a sua vida.
- Em muitos lugares, psicólogos são colocados dentro da igreja para tratar as pessoas. E o conselho deles é sempre o mesmo: você precisa se aceitar. E a palavra pecado toma outros nomes: mal, dependência, distúrbio, condição, circunstância...
- Alguém disse-me: Pastor, o que sinto falta na minha igreja é da palavra. Tudo o que se ouve hoje é que preciso ser próspero, alcançar mais bens, ter mais dinheiro, e a igreja precisa alcançar maiores números; alcançar o sucesso humano.
- Paulo diz: não usei técnicas humanas para pregar a palavra de Deus.
- Conversando com um pregador após o culto, disse-lhe: Olha, irmão, aquilo que você pregou me pareceu uma técnica psicológica. Ele respondeu: Mas que mal há em usar isso? Disse-lhe: O mal é que o apóstolo Paulo disse não usar de sabedoria humana para pregar o Evangelho, antes o poder de Deus.
- Que tristeza, meus irmãos! A igreja é o lugar onde deveria ser fonte de vida, e tem se tornado uma fonte de morte, de separação de Deus.
- Veja que a sabedoria humana não tem parte na sabedoria de Deus, ela não nos aproxima dEle.
Efésios 3.10: “Para que agora, pela igreja, a multiforme sabedoria de Deus seja conhecida dos principados e potestades nos céus”.
- O apóstolo nos fala que Deus tinha algo maravilhoso oculto, a ser manifesto, conhecido, e agora, nos tempos atuais, nos tempos da igreja do Senhor, no tempo em que a promessa feita a Abraão foi realizada; nos dias em que Moíses desejou ver a glória da igreja; nos dias do pacto maravilhoso do Senhor Jesus Cristo, da aliança de Deus com o homem; em que Deus se fez homem, esses dias foram levados a efeito, cumpriram-se conforme a promessa.

- E agora, através da igreja, a multiforme sabedoria de Deus será conhecida dos principados e potestades.
- A igreja, ao invés de manifestar a sabedoria de Deus, proclama a sabedoria humana nos dias de hoje; criando festas, danças, programações atrativas para que as pessoas venham até ela.
- Sabe porque essas festas e programações são necessárias para que o povo venha a igreja? Porque o seu coração afastou-se de Deus, e há uma busca por emoções. Naturalmente, na presença de Deus, há alegria e gozo. Mas nem todo gozo e emoção são demonstrações da presença de Deus. A presença de Deus traz gozo e emoção, mas a emoção não traz a presença de Deus.
- Estamos para entrar numa das maiores festas que o mundo conhece: o Natal. Uma festa que não tem nada a ver com Deus. Uma festa mundana, pagã, que foi introduzida, adequada a igreja, para que os fiéis se sentissem bem, e os infiéis viessem para a igreja. Assim tem sido feito: todos os tipos de ritmos musicais possíveis e imagináveis a fim de satisfazer a carne; todo o tipo de eventos a fim de distrair o homem, afastando-o mais e mais do Evangelho de Cristo; todo o tipo de encenação que barateia o Evangelho, despreza o sacrifício do Senhor na cruz do Calvário e a Sua obra de redenção.
- A igreja tem de manifestar o poder de Deus; e o culto ao Senhor deve ser com decência e com ordem.
- A palavra de Deus faz separação entre o que é santo e o que é profano.
- A comunhão com Deus tem de ser adquirida através da oração, da leitura da palavra, no temor de Deus. É difícil, mas é o que deve nos alegrar. Porém, é mais fácil viver todos os dias como um mundano, e no domingo dançar na presença do Senhor; e sair de lá com a consciência de que se fez algo agradável a Deus... Quem assim procede está enganando-se a si mesmo.
- Não é assombroso que a palavra de Deus, a qual tem sido rejeitada pelo mundo, tem igualmente sido rejeitada na maioria dos púlpitos? Há uma adequação da pregação, e a mensagem é sempre a mesma: o Senhor lhe dará a vitória, não importando se a sua vida é de temor a Ele, ou de dissolução; se é uma vida de oração, de leitura da palavra, de testemunhar o Evangelho de Cristo, ou de rebeldia, onde o seu tempo é ocupado com as coisas seculares.
- Há cristãos que se vestem como o mundo se veste. Que falam exatamente como o mundo fala. Que vivem em ambientes degradados pelo pecado, tal qual o mundo gosta de frequentar. É raro o caso de alguém que se converte e passa a se vestir diferente, a falar diferente, a abandonar a antiga vida de impiedade, de praticar os velhos prazeres insidiosos, de rejeitar a velha natureza... É raro o desejo de se mortificar a carne, de buscar uma vida de santidade, de sujeição à vontade de Deus.
Não é a roupa que faz o cristão, mas o cristão terá sempre um proceder zeloso em todas as áreas da sua vida, inclusive no vestir.
- Aquele que teme ao Senhor, o que professa o Senhor, olhe como anda.
Na próxima semana, a segunda parte desta pregação.
Resumo da mensagem pregada no TBB: Dezembro de 2008.
Todos os versículos da Almeida Corrigida e Fiel da SBTB(ACF)

terça-feira, 11 de novembro de 2008

POSTAGENS EM ÁUDIO









No post abaixo, "Sermões do Pr. Luiz Carlos Tibúrcio", incluimos as duas últimas partes da pregação sobre "A Vida de Um Justo", baseadas no livro de Jó, e pregadas no T.B.B em Novembro/2008.
Que Cristo nosso Senhor o abençoe, o edifique, o santifique através da Sua santa palavra.
Amém!

terça-feira, 14 de outubro de 2008

SERMÕES EM ÁUDIO













Irmão(a) e amigo (a),

Experimentalmente, disponibilizamos algumas mensagens em áudio pregadas no T.B.B.
Como o nosso equipamento de gravação consiste em um mp3, podem ocorrer ruídos e sons exteriores, dificultando a audição. A gravação não passou por qualquer edição, filtros ou mixagem, mantendo-se original.
Assim, os sermões no Tabernáculo Batista Bíblico serão ouvidos tal como foram ministrados, segundo o poder do Espírito Santo.
Que Deus nos abençoe, e use-nos para propagar o Evangelho do Seu Amado Filho por todo o mundo.
Fique na eterna e gloriosa paz do nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo.
Fraternalmente.
Jorge Fernandes

terça-feira, 23 de setembro de 2008

NENHUMA CONDENAÇÃO HÁ...

Pr. Luiz Carlos Tibúrcio


O texto base para esta noite é:
Romanos 8.1: "Portanto, agora nenhuma condenação há para os que estão em Cristo Jesus, que não andam segundo a carne, mas segundo o Espírito".
Romanos 1.18: "Porque do céu se manifesta a ira de Deus sobre toda a impiedade e injustiça dos homens, que detêm a verdade em injustiça".
- Deus manifesta a Sua ira! Lemos nas Escrituras sobre o amor de Deus, sobre a misericórdia, a graça e a compaixão de Deus. Mas aqui, lemos sobre a ira de Deus sobre toda a impiedade.
- Impiedade é a prática daquilo que não é justo, ou seja, injustiça.
Versículo 19: "Porquanto o que de Deus se pode conhecer neles se manifesta, porque Deus lho manifestou. Porque as suas coisas invisíveis, desde a criação do mundo, tanto o seu eterno poder, como a sua divindade, se entendem, e claramente se vêem pelas coisas que estão criadas, para que eles fiquem inescusáveis. ".
- Deus manifesta a Sua ira contra a injustiça, contra o pecado.
- Tudo dá testemunho da bondade de Deus. Portanto, o homem devia reverenciá-lO.
- O poder e a justiça de Deus são manifestos pelas coisas criadas para que ninguém diga: "Não vi o poder de Deus". Estas pessoas são indesculpáveis diante de Deus, pois Ele se manifestou a todos os homens.
Versículo 21: "Porquanto, tendo conhecido a Deus, não o glorificaram como Deus, nem lhe deram graças, antes em seus discursos se desvaneceram, e o seu coração insensato se obscureceu".
- Os homens não deram a Deus a glória devida; mesmo diante de todo o Seu poder, suas mentes criaram fantasias: uns criaram imagens de homens, outros de animais e disseram: "Este é o meu deus!". Que loucura, meus irmãos!
1 Coríntios 6.10: "Não erreis: nem os devassos, nem os idólatras, nem os adúlteros, nem os efeminados, nem os sodomitas, nem os ladrões, nem os avarentos, nem os bêbados, nem os maldizentes, nem os roubadores herdarão o reino de Deus. E é o que alguns têm sido...".
- E é o que alguns de vocês foram! Deus nos chamou para uma mudança de vida, para uma nova vida em Cristo nosso Senhor. Ele nos transformou, libertando-nos do que éramos, daquilo que fomos um dia.
"...mas haveis sido lavados, mas haveis sido santificados, mas haveis sido justificados em nome do Senhor Jesus, e pelo Espírito do nosso Deus".
- Deus nos chamou quando estávamos em pecado. Mas Ele não nos chamou para vivermos em pecado, pois nos lavou, santificou, justificou para uma nova vida.
- Deus nos chamou para servi-lO, abandonando a antiga vida de pecados para vivermos em santidade.
Lucas 18.10: "Dois homens subiram ao templo, para orar; um, fariseu, e o outro, publicano. O fariseu, estando em pé, orava consigo desta maneira: Ó Deus, graças te dou porque não sou como os demais homens, roubadores, injustos e adúlteros; nem ainda como este publicano. Jejuo duas vezes na semana, e dou os dízimos de tudo quanto possuo. O publicano, porém, estando em pé, de longe, nem ainda queria levantar os olhos ao céu, mas batia no peito, dizendo: Ó Deus, tem misericórdia de mim, pecador! Digo-vos que este desceu justificado para sua casa, e não aquele".
- O Senhor conta-nos uma parábola em que dois homens oravam no Templo. Um dizia: Senhor, como sou santo! Não sou como os homens comuns. O outro dizia: Tem misericórdia de mim, Senhor!
- Aquele que reconheceu os seus pecados, esse saiu justificado. Porque Cristo veio para os pecadores, para dar o perdão ao arrependido.
- Agora não há mais condenação para os que estão em Cristo Jesus. Agora, meus irmãos! Não amanhã, ou depois de amanhã. Mas agora! Contudo, aqueles que não reconhecem Jesus Cristo como Senhor e Salvador de suas vidas JÁ estão sob a condenção e a ira de Deus.
Ezequiel 18.4: "Eis que todas as almas são minhas; como o é a alma do pai, assim também a alma do filho é minha: a alma que pecar, essa morrerá".
- Nós pertencemos ao Senhor. Todos, quer servos, quer não, porque Ele nos criou.
- Não há crime sem lei que o defina como tal. E se há um crime e uma lei, há uma punição, uma sentença. Deus decretou que o pecado é crime, e a sentença para aquele que pecar é a morte!
- O pecado é transgressão da lei, a desobediência à lei.
Deuteronômio 21.22: "Quando também em alguém houver pecado, digno do juízo de morte, e for morto, e o pendurares num madeiro,O seu cadáver não permanecerá no madeiro, mas certamente o enterrarás no mesmo dia; porquanto o pendurado é maldito de Deus; assim não contaminarás a tua terra, que o Senhor teu Deus te dá em herança".
- Deus fez um decreto, no qual o cadáver pendurado no madeiro teria de ser enterrado.
Deuteronômio 27.15: "Maldito o homem que fizer imagem de escultura, ou de fundição, abominação ao Senhor, obra da mão do artífice, e a puser em um lugar escondido. E todo o povo, respondendo, dirá: Amém".
- maldito o que fizer uma imagem.
Versículo 16: "Maldito aquele que desprezar a seu pai ou a sua mãe. E todo o povo dirá: Amém" (Os versículos seguintes ao 16 descrevem uma série de pecados, os quais Deus amaldiçoa - Nota do Editor).
- Maldito aquele que transgredir a lei de Deus. Deus amaldiçoava os que desobedeciam a Sua lei.
Gálatas 3.10: "Todos aqueles, pois, que são das obras da lei estão debaixo da maldição; porque está escrito: Maldito todo aquele que não permanecer em todas as coisas que estão escritas no livro da lei, para fazê-las".
- Deus decretou várias maldições. Maldito o que não cumprir toda a lei. Ninguém é capaz de cumprir a lei, portanto, todos são malditos.
- Somente Jesus Cristo cumpriu-a integralmente.
- Deus exige santidade, justiça, retidão. E ninguém satisfez a Deus, porque somos pecadores. Mas Cristo foi o único capaz de satisfazer as exigências de Deus.
- Em Cristo somos capazes de agradá-lO, visto que Ele, o Filho, nos justificou perante Deus. Então, não devemos viver em pecado, mas ter uma vida de santidade, retidão e justiça, porque Cristo nos libertou da prisão do pecado, para vivermos conforme a vontade Deus.
- A lei somente nos trará condenação. Ninguém poderá viver e ser salvo pela lei. Se você mentir será condenado. Se adulterar será condenado. Se roubar será condenado.
- Não há outra salvação, somente em Cristo Jesus. Todo aquele que buscar uma outra salvação está debaixo da maldição e da ira de Deus.
Romanos 8.3: "Porquanto o que era impossível à lei, visto como estava enferma pela carne, Deus, enviando o seu Filho em semelhança da carne do pecado, pelo pecado condenou o pecado na carne".
- As Escrituras nos dizem que a lei é boa: "E assim a lei é santa, e o mandamento santo, justo e bom" (Rm 7.12).
- Mesmo sendo santa, justa e boa a lei não pode nos salvar.
Mateus 15.19: "Porque do coração procedem os maus pensamentos, mortes, adultérios, fornicação, furtos, falsos testemunhos e blasfêmias. São estas coisas que contaminam o homem; mas comer sem lavar as mãos, isso não contamina o homem".
- Há coisas que contaminam o homem. E elas procedem do coração, é dele que procedem o pecado, os maus pensamentos.
- A santidade de Deus exigiu uma justiça que está acima de nós, muito além de nossas forças e possibilidades.
Mateus 6.21: "Porque onde estiver o vosso tesouro, aí estará também o vosso coração".
Mateus 9.4: "Mas Jesus, conhecendo os seus pensamentos, disse: Por que pensais mal em vossos corações?".
- O Senhor sabe o que se passa no coração do homem, Ele conhece a maldade que há no coração do homem.
Mateus 12.34: "Raça de víboras, como podeis vós dizer boas coisas, sendo maus? Pois do que há em abundância no coração, disso fala a boca. O homem bom tira boas coisas do bom tesouro do seu coração, e o homem mau do mau tesouro tira coisas más".
Mateus 15.8: "Este povo se aproxima de mim com a sua boca e me honra com os seus lábios, mas o seu coração está longe de mim".
Versículo 18: "Mas, o que sai da boca, procede do coração, e isso contamina o homem.Porque do coração procedem os maus pensamentos, mortes, adultérios, fornicação, furtos, falsos testemunhos e blasfêmias.São estas coisas que contaminam o homem; mas comer sem lavar as mãos, isso não contamina o homem".
- Em Rm 8.3,lemos que a lei não pode nos salvar. Que o nosso coração está afastado de Deus.
Gálatas 3.13: "Cristo nos resgatou da maldição da lei, fazendo-se maldição por nós; porque está escrito: Maldito todo aquele que for pendurado no madeiro".
- Em deuteronômio, quando Deus dá a lei aos homens, disse que maldito aquele que for pendurado no madeiro. Cristo se fez maldição por nós! Aquele que não tem pecado, nem culpa, nem desobedeceu a Deus, morreu na cruz do Calvário, suspenso em um madeiro, para nos livrar da maldição do pecado.
- Ele ocupou o lugar que deveria ser nosso, substituindo-nos.
- Ainda que éramos pecadores, afastados de Deus, em desobediência a Ele, Cristo, pelo seu muito e maravilhoso amor, chama-nos à reconciliação com Deus, pelo Seu perdão dado ao coração arrependido.
Jeremias 24.7: "E dar-lhes-ei coração para que me conheçam, porque eu sou o Senhor; e ser-me-ão por povo, e eu lhes serei por Deus; porque se converterão a mim de todo o seu coração".
- Jeremias é perseguido por tentar fazer o povo voltar-se para Deus.
- E Deus dá um coração para que O conheçam. Se Ele não nos der um novo coração, jamais o buscaremos,nem O conheceremos... Sabe porque nós o buscamos? Porque Ele coloca em nosso coração o desejo de buscá-lO, de conhecê-lO.
- Deus tem aberto o meu coração para que eu veja a Sua bondade, a Sua misericórdia, a Sua graça, e receba o Seu perdão; distanciando-me do pecado, da rebeldia e aproximando-me d'Ele, vontando-me ao caminho que O honre e glorifique.
- E assim, Ele será o meu Deus, e nós seremos o Seu povo. Não O honraremos mais apenas com os lábios, mas com o coração. E isso só foi possível pelo sacrifício de Cristo na cruz, resgatando-nos da condenação e da separação eterna de Deus.
- Ele nos chamou para sermos crentes, não apenas aos domingos, mas em tempo integral, testemunhando com nossas vidas dia após dia a conversão do nosso coração a Deus.
Jeremias 29.13: "E buscar-me-eis, e me achareis, quando me buscardes com todo o vosso coração. E serei achado de vós, diz o Senhor, e farei voltar os vossos cativos e congregar-vos-ei de todas as nações, e de todos os lugares para onde vos lancei, diz o Senhor, e tornarei a trazer-vos ao lugar de onde vos transportei".
- Esta é uma promessa de Deus para todos os tempos: buscai ao Senhor, clamai ao Senhor por misericórdia, e deixe o ímpio o caminho do mal, e converta-se a Deus.
- Ele tem transformado a nossa vida, mas ainda assim, devemos buscá-lO incessantemente.
- Rm 8.1, "portanto agora" significa no tempo de hoje, no tempo do sacrifício de Jesus Cristo, neste instante... pois "nenhuma condenação há para os que estão em Cristo Jesus".
- Nós sentiremos tristeza por nossos pecados, quando desobedecemos e nos rebelamos contra Deus. Mas, também, sentiremos conforto, e a certeza de que Ele nos perdoará quando nos arrependemos, voltando-nos para Ele em busca do Seu perdão.
- Temos a certeza de que o perdão de Deus é realidade em nossas vidas; e de que a salvação é um milagre que somente Cristo poderia fazer por nós.

Resumo da mensagem pregada no TBB: 14 de Setembro de 2008
Todos os versículos da Almeida Corrigida e Fiel da SBTB(ACF)

sábado, 13 de setembro de 2008

CRISTO É DEUS!

Pr. Luiz Carlos Tibúrcio


Hebreus 1.1-3: "Havendo Deus antigamente falado muitas vezes, e de muitas maneiras, aos pais, pelos profetas, a nós falou-nos nestes últimos dias pelo Filho, A quem constituiu herdeiro de tudo, por quem fez também o mundo. O qual, sendo o resplendor da sua glória, e a expressa imagem da sua pessoa, e sustentando todas as coisas pela palavra do seu poder, havendo feito por si mesmo a purificação dos nossos pecados, assentou-se à destra da majestade nas alturas".
- Deus, no decorrer da história, manifestou-se aos homens de muitas maneiras e formas.
- No estudo que fazemos do Livro de Gênesis, às quartas-feiras, encontramos Deus criando, mostrando amor para com a Sua criação; igualmente, vemos Ele revelando-se aos homens, e a forma como nós O desprezamos, pecando contra Ele.
- Através do Seu amor contrangedor e infinito, Deus vem atraindo-nos a Si, cercando-nos de bênçãos, chamando-nos a andar na Sua presença, a relacionarmo-nos com Ele.
- Neste tempo, que é o tempo dos últimos dias... É interessante como mesmo as pessoas mais incrédulas, mesmo aquelas que resistem e não querem nenhuma espécie de relacionamento com Deus percebem que estamos nos fins do tempo... É neste tempo, em que se avizinha a volta do Senhor Jesus Cristo, que Deus nos falou pelo Filho.
Daniel 7.13-14: "Eu estava olhando nas minhas visões da noite, e eis que vinha nas nuvens do céu um como o filho do homem; e dirigiu-se ao ancião de dias, e o fizeram chegar até ele. E foi-lhe dado o domínio, e a honra, e o reino, para que todos os povos, nações e línguas o servissem; o seu domínio é um domínio eterno, que não passará, e o seu reino tal, que não será destruído".
- Daniel tem a visão do Senhor Jesus Cristo.
- Ele está aflito pelo seu povo, o povo de Israel, que se encontra cativo e escravo dos babilônicos; mas o Senhor dá-lhe esperanças, por que Deus é o Deus da esperança; e revela a Daniel Cristo como o Filho do homem glorificado, o qual tem o poder eterno.
Lucas 3.38: "E Cainã de Enos, e Enos de Sete, e Sete de Adão, e Adão de Deus".
- A genealogia do Senhor Jesus Cristo chega até Adão, e chega até Deus.
Mateus 3.17: "E eis que uma voz dos céus dizia: Este é o meu Filho amado, em quem me comprazo".
- Cristo está para ser batizado por João o Batista, e tão logo Ele sai das águas, a voz de Deus ecoa afirmando: Este é o meu Filho amado! O Senhor é o Filho de Deus, amado e em quem o Pai se alegra.
- O mundo foi criado, os homens, animais e os anjos foram criados por Deus. Mas Cristo é o Filho eterno de Deus.
- Se os irmãos querem ter o coração cheio de alegria, entoem hinos de louvor ao Senhor Jesus Cristo. Como diz um trecho do hino "Coroai": "Louvai o nome de Jesus, arcanjos vos prostrai, arcanjos vos prostrai...". Cantem louvores a Ele, e os seus corações arderão de gozo e alegria.
Mateus 17.5: "E, estando ele ainda a falar, eis que uma nuvem luminosa os cobriu. E da nuvem saiu uma voz que dizia: Este é o meu amado Filho, em quem me comprazo; escutai-o ".
- Novamente Deus manifesta o Seu amor ao Filho. No céu a comunhão perfeita de Deus, e na terra, a comunhão perfeita de Deus Pai com Seu Filho Amado Jesus Cristo.
- Cristo dá prazer ao Pai, e através d'Ele, também damos alegria ao Pai.
João 5.18: "Por isso, pois, os judeus ainda mais procuravam matá-lo, porque não só quebrantava o sábado, mas também dizia que Deus era seu próprio Pai, fazendo-se igual a Deus".
- Os judeus queriam matar o Senhor Jesus Cristo, não apenas por que Ele não guardava o sábado, mas por que Ele se colocava igual a Deus.
- Há muitas pessoas que dizem honrar a Cristo, e afirmam que Ele nunca se comparou com Deus; mas neste trecho das Escrituras vemos claramente que os judeus entenderam exatamente o que o Senhor Jesus dizia.
- Não havia dúvidas quanto ao que Cristo dizia, de que Ele e o Pai eram Um.
- Em Lucas 2. 43 em diante, vemos Maria e José questionando a Jesus, menino, por que havia permanecido em Jerusalém. Ao que o Senhor disse: "Por que é que me procuráveis? Não sabeis que me convém tratar dos negócios de meu Pai?". Jesus, desde criança, sempre soube que era Filho de Deus, quem era, e qual o propósito da sua vida. Maria não sabia, muito menos José. Mas Cristo não tinha dúvidas de quem Ele era.
- Cristo tem as características de Deus, a personalidade de Deus, age como Deus, é Deus. Ele é o Alfa e o Ômega, o princípio e fim (Ap. 1.8). Antes de tudo existir, Ele já era. No princípio era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus (João 1.1). Jesus Cristo é Deus!
- Para muitos, Jesus Cristo é um guru, um anjo, um iluminado, um deus menor, que não é Todo-Poderoso; mas as Escrituras são claras em afirmar e revelar que só há um Deus.
João 1.49: "Natanael respondeu, e disse-lhe: Rabi, tu és o Filho de Deus; tu és o Rei de Israel. Jesus respondeu, e disse-lhe: Porque te disse: Vi-te debaixo da figueira, crês? Coisas maiores do que estas verás. E disse-lhe: Na verdade, na verdade vos digo que daqui em diante vereis o céu aberto, e os anjos de Deus subindo e descendo sobre o Filho do homem".
- Esta é a visão de Jacó: ele vê os anjos subindo e descendo sobre Cristo, o qual é a escada que nos liga a Deus.
- Através de Cristo temos comunhão com Deus, e vemos os céus abertos, somente pela graça e misericórdia de Deus.
- Cristo é onisciente: ao ver Natanael debaixo da figueira; ao saber o que se passava na mente de Simão, o fariseu (Lc 7.39-50).
Portanto, Cristo é Deus!
João 20.27: "Depois disse a Tomé: Põe aqui o teu dedo, e vê as minhas mãos; e chega a tua mão, e põe-na no meu lado; e não sejas incrédulo, mas crente. E Tomé respondeu, e disse-lhe: Senhor meu, e Deus meu!" .
- Tomé, ao ver o Senhor ressurreto, adorou-O. E sabemos que apenas Deus é digno de adoração. Se adorarmos a qualquer outra coisa, seja homem ou objeto, pecamos, trazendo condenação sobre nós, porque "ao Senhor teu Deus adorarás, e só a ele servirás" (Mt 4.10).
Tito 2.13: "Aguardando a bem-aventurada esperança e o aparecimento da glória do grande Deus e nosso Senhor Jesus Cristo".
- Paulo diz que o Senhor Jesus Cristo é o Deus da nossa salvação. Como está escrito em Jonas 2.9: "Do Senhor vem a salvação".
- Cristo é Deus!
Mateus 18.20: "Onde estiverem dois ou três reunidos em meu nome, aí estou eu no meio deles".
- O Senhor Jesus Cristo é onipresente, portanto, é Deus!
Filipenses 3.21: "Mas a nossa cidade está nos céus, de onde também esperamos o Salvador, o Senhor Jesus Cristo, Que transformará o nosso corpo abatido, para ser conforme o seu corpo glorioso, segundo o seu eficaz poder de sujeitar também a si todas as coisas.
- Jesus transformará o nosso corpo abatido num corpo glorioso como o Seu.
- Ele sujeita todas as coisas sob o Seu poder; não só o nosso corpo será transformado, mas a nossa vida também. Estaremos, na plenitude da Sua glória em contínua e eterna adoração, como nunca, como jamais fomos capazes de sequer imaginar.
- Em Mateus 8, uma tempestade levanta o mar, e as ondas cobriam o barco. Então, lemos: "E os seus discípulos, aproximando-se, o despertaram, dizendo: Senhor, salva-nos! que perecemos. E ele disse-lhes: Por que temeis, homens de pouca fé? Então, levantando-se, repreendeu os ventos e o mar, e seguiu-se uma grande bonança". Cristo tem poder sobre a natureza, sobre nós, sobre o pecado... por isso, Ele disse: "Se, pois, o Filho vos libertar, verdadeiramente sereis livres" (Jo 8.36). Podemos orar: Senhor, liberta-nos pelo Seu poder!
- Cristo é onipotente, Ele tem todo o poder, portanto, é Deus!
- Irmãos, temos uma promessa de um mundo maravilhoso, onde não haverá mais morte, tristezas, sofrimento e dor. E este é o Reino do Senhor Jesus Cristo.
Colossenses 1.16: "Porque nele foram criadas todas as coisas que há nos céus e na terra, visíveis e invisíveis, sejam tronos, sejam dominações, sejam principados, sejam potestades. Tudo foi criado por ele e para ele".
- Cristo é o Senhor de todas as coisas, e a expressa imagem da bondade de Deus (Êx 33.19).
Romanos 9.5: "Dos quais são os pais, e dos quais é Cristo segundo a carne, o qual é sobre todos, Deus bendito eternamente. Amém".
- O Senhor Jesus Cristo é Deus bendito eternamente!
- Quando olhamos para Cristo, vemos Deus.
- O Senhor Jesus é o nosso Deus exaltado, e n'Ele habita corporalmente toda a plenitude da divindade (Cl 2.9).
Hebreus 1.8: "Mas, do Filho, diz: Ó Deus, o teu trono subsiste pelos séculos dos séculos; Cetro de eqüidade é o cetro do teu reino".
- Cristo reina, e o Seu reino será um reino de justiça, e o Seu trono subsiste pelos séculos dos séculos, pois, o Senhor é Deus! Toda honra, louvor e gloria seja dada a Ele, o Deus Filho, o qual é o único caminho que nos leva a Deus, a luz que nos ilumina, e nos dá a vida eterna.

Resumo da mensagem pregada no TBB: 07 de Setembro de 2008
Todos os versículos são da Almeida Corrigida e Fiel da SBTB(ACF)

quinta-feira, 4 de setembro de 2008

A URGÊNCIA DE DEUS

Pr. Júlio César de Salles

Por causa de nossa natureza totalmente caída, não conseguimos avaliar a urgência do tempo de Deus, tanto em nossas vidas como na vida das pessoas que estão em nosso arredor. Confundimos o urgente com aquilo que julgamos ser mais importante e conseqüentemente sacrificamos o eterno no altar do temporal. O apóstolo Paulo nos diz em Efésios capítulo 5 verso 16: “Remindo o tempo, porquanto os dias são maus”. Deus não deseja que assumamos o espírito de agitação de nossos dias e passemos a viver um estilo de vida apressado, como se estivéssemos apagando focos de incêndio a todo o momento, mas que tenhamos uma atitude de viver em paz com todos os homens. Temos a plena certeza que em nenhum momento o apóstolo Paulo está nos pedindo para sermos mais espertos em nossas tarefas, ou que façamos todas atividades em uma velocidade maior, muito menos nos ensinando que temos de possuir uma agenda pessoal. Seguir uma agenda é muito importante, mas aqui neste texto Deus nos conclama a viver atento no que se refere à falência espiritual em que as pessoas vivem ao nosso arredor. Não é também buscar uma espécie de criatividade usando métodos atraentes deste mundo para proclamar o Evangelho, e nem de aproveitar os problemas que as pessoas sofrem para apresentar um evangelho social, o qual somente resolverá suas causas momentâneas. Não devemos ser pragmatistas.
Tomemos, como exemplo, o profeta Jeremias que foi tentado a pregar um evangelho que agradasse aos seus ouvintes. O contexto do livro nos mostra que os caldeus já estavam invadindo Judá, para levá-los cativos à Babilônia, debaixo do decreto permissivo e disciplinar de Deus. Não havia mais jeito! Os judeus não deram ouvidos à palavra de urgência de Deus enviada pelos seus servos, os profetas. As aldeias haviam sido queimadas, crianças estavam sendo mortas a fio de espada, mulheres sendo estupradas na frente de seus maridos, e o templo de Salomão sendo saqueado pelos babilônicos. O povo não prestou atenção no tempo da urgência de Deus. Estavam apressados, em fuga, mas não urgentes com a mensagem vinda de Deus por intermédio de Jeremias. Há uma grande diferença na pressa humana e na urgência de Deus. Deus ensinou esta grande diferença através da vida de Jeremias.
O próprio Jeremias foi chamado por Deus antes da fundação do mundo (Jr 1:5-8). Mostrando que o tempo de Deus é diferente do tempo do homem. Que Sua urgência não está presa a métodos humanos. Foi ameaçado de morte, por pregar uma palavra que não apoiava aquela pressa excessiva de fugir da disciplina de Deus (Jr 11:18-21). Proibido por Deus de se casar e constituir família... Que aproveita criar família, assumindo o estilo da pressa humana, só para ser assassinada na horrível carnificina prestes a desencadear-se sobre os habitantes de Judá?(Jr 16:1-4). Foi também torturado e jogado dentro de uma cisterna, e desreipeitosamente, até hoje é apelidado de "profeta chorão". Quem fala isso é porque nem imagina as cenas horríveis que este profeta presenciou. Seu lamento foi tão grande que chegou a dizer que seus olhos eram como “uma fonte de lágrimas” (Jr 9:1-10).
Em Jeremias no capítulo 32, presenciamos um grande paradóxico entre a urgência de Deus em relação ao desespero apressado da natureza humana. Em face de toda aquela situação de desespero, Deus ordena ao profeta que faça a compra de uma propriedade. Jeremias aqui se encontrava literalmente preso, por haver pregado algo longe da expectativa do povo, a qual era tornar-se livre da invasão babilônica. A palavra de Deus estava sendo cumprida diante do rei Zedequias e de todo o povo. A cidade estava sendo queimada, muitos morrendo de sede e fome. Propriedades, lavouras e campos estavam sendo abandonados por causa da iminente invasão. E no meio dessa confusão aparece Deus ordenando a Jeremias que efetuasse a compra de uma propriedade. Que milagre Deus estava realizando! Este ato de compra deveria ser feito na frente de todos, para mostrar que nosso Deus está acima das situações. Imaginemos como ficou o semblante do rei Zedequias ao ver Jeremias sendo libertado das cadeias pelo poder de Deus, para realizar a compra de uma propriedade. Até mesmo o próprio profeta que, pouco tempo antes, Deus proibira de constituir família, agora estava surpreso com a nova ordem de Deus... Irmãos, quantas vezes ficamos admirados com os supremos feitos de Deus! Os métodos da urgência de Deus estão sempre acima do desespero humano. Jeremias testificou esse milagre divino em sua vida. Observemos alguns aspectos relevantes neste capítulo:
No verso 8 deste mesmo capítulo ele declara “Então entendi que isto era a palavra de Deus”. Jeremias obedeceu reconhecendo a urgência de Deus. No verso 17, ele diz: "nada há que seja demasiado difícil para Ti”. E nos versículos 17 a 21 vemos uma oração de ações de graças entoada pelo profeta. Jeremias não se vangloriou no braço do homem. Devemos reconhecer o livramento da urgência de Deus, e não buscar apoio em métodos humanos.

Versículo 18: "Tu que usas de benignidade com os milhares”. É interesante que até o nome das pessoas e lugares nessa história possuem um significado especial. "Hananel”, significa, “Deus se apiedou”; "Salum” é “retribuição”; e “Ananote” é “orações respondidas”. Como é fantástico ver que tudo foi providenciado para a glória de Deus.
Humanamente falando seria um absurdo realizar a compra de uma Terra diante de uma invasão. Mas Deus queria mostrar através desse ato que, no futuro, o povo judeu voltaria a tomar posse daquela Terra prometida a Israel.
Um pouco mais à frente, no capítulo 37, versos 11 a 13, Jeremias foi solto da prisão e tinha todo o direito de usufruir de seu novo patrimônio. No caminho, ao sair pelos portões da cidade, foi mal interpretado por alguns, que logo o prenderam novamente por acusação de ser um traidor. Aprendemos com este acontecimento que muitas vezes Deus irá nos pedir para abrir mão de nossas vidas e sofrer com as pessoas. "Fiz-me como fraco para os fracos, para ganhar os fracos. Fiz-me tudo para todos, para por todos os meios chegar a salvar alguns” (1Cor 9:22). "Fez conhecidos os seus caminhos a Moisés, e os seus feitos aos filhos de Israel” (Sl 103: 7). Não podemos ficar presos somente aos feitos de Deus e nos esquecer de seus caminhos. Jeremias mostrou maturidade, e abriu mão das bênçãos, e se preocupou com as vidas ao seu arredor.
Irmãos, não sejamos incrédulos em assumir a pressa frenética do mundo, correndo de um lado para o outro atropelando e até mesmo machucando as pessoas. Muitas vezes somos tentados a trocar o evangelho da Cruz pelo evangelho do alívio. Roguemos a Deus para que sejamos fiéis como foi Jeremias. Fiéis ao Seu chamado, e a descançar no livramento certo que virá no tempo perfeito da suprema urgência de Deus. Amém!

Resumo da mensagem pregada no T.B.B. em 24 de Agosto de 2008
Todos os versículos são da Almeida Corrigida e Fiel da S. B. T. B. (ACF)

sábado, 30 de agosto de 2008

O EVANGELHO DA GRAÇA

Pr. Luiz Carlos Tibúrcio

Continuando a pregação do último domingo, onde o versículo base é Mateus 9.35: "E percorria Jesus todas as cidades e aldeias, ensinando nas sinagogas deles, e pregando o evangelho do reino, e curando todas as enfermidades e moléstias entre o povo".
- Cristo prega o Evangelho do Reino, trazendo a todos as Boas Novas de salvação, de paz e de reconciliação com Deus.
Lucas 4.16-19: "E, chegando a Nazaré, onde fora criado, entrou num dia de sábado, segundo o seu costume, na sinagoga, e levantou-se para ler. E foi-lhe dado o livro do profeta Isaías; e, quando abriu o livro, achou o lugar em que estava escrito: O Espírito do Senhor é sobre mim, pois que me ungiu para evangelizar os pobres. Enviou-me a curar os quebrantados do coração, a pregar liberdade aos cativos, e restauração da vista aos cegos, a pôr em liberdade os oprimidos, a anunciar o ano aceitável do Senhor".
- Cristo lê o Livro do profeta Isaías, o qual fala sobre o Ungido de Deus, o Messias, Aquele pelo qual Deus faria uma obra maravilhosa: evangelizar os povos, curar os quebrantados do coração, pregar liberdade aos cativos, dar visão aos cegos, libertar os oprimidos e anunciar o ano aceitável do Senhor. Ele lê as Escrituras, e elas citam-nO, revelando, detalhadamente, a obra a qual o Senhor faria quando de Sua vinda.
- Deus amou o Seu povo de tal maneira que deu o Seu Filho Unigênito para que todo aquele que nele crer não pereça mas tenha a vida eterna (Jo 3.16). Cristo veio para os que sofrem, para os perdidos, pecadores e inimigos de Deus.
"E, cerrando o livro, e tornando-o a dar ao ministro, assentou-se; e os olhos de todos na sinagoga estavam fitos nele. Então começou a dizer-lhes: Hoje se cumpriu esta Escritura em vossos ouvidos".
- O Senhor veio trazer as Boas Novas de paz, de reconciliação para os corações quebrados, passando por sofrimentos... distanciados da Palavra de Deus.
- Quando Cristo veio ao mundo, Ele aproximou-se dos mais desfavorecidos. Em oposição aos valores mundanos, Jesus cercou-se não dos poderosos, nem dos influentes e endinheirados, mas daqueles sem importância, os quais o mundo desprezava.
- Ele veio pregar o Reino, cujos valores não são os do mundo, ao contrário, são opostos, antagônicos ao mundo.
- Nos momentos mais difíceis, onde a esperança esvaiu-se, podemos clamar ao Senhor, sabendo que Ele nos ouve. Como o salmista diz: "O choro pode durar uma noite, mas a alegria vem pela manhã" (Sl 30.5). Cristo veio curar os quebrantados de coração. Libertar os presos pelas correntes do pecado, cativos aos grilhões de satanás. Cristo veio para livrar-nos, como disse: "Se, pois, o Filho vos libertar, verdadeiramente sereis livres" (Jo 8.36).
- A paz só virá se houver esperança. Não se pode tê-la sem que haja esperança. E a esperança está em nosso Senhor, o qual veio estabelecer o Seu Reino, que nos assiste em nossas dificuldades, trazendo-nos a expectação de que todas as suas promessas se realizarão.
- Cristo dá vista aos cegos. Ele é quem abre os nossos olhos e nos revela as maravilhas da Palavra de Deus. Somente pelo Seu poder é que deixamos a cegueira, e vemos.
- O que nos oprime? As angústias, aflições, a incerteza pelo futuro, as pressões da vida... O homem construiu uma casa, veio a tempestade e a casa não caiu, porque estava construida sobre a Rocha. No Senhor, o qual é a Rocha, estando firmados n'Ele, ainda que tudo conspire contra nós, jamais cairemos, jamais seremos destruídos, porque Cristo é a nossa esperança; a esperança de que estamos guardados e sustentados em Suas mãos.
- O Reino de Deus é o tempo de perdão, quando Ele, em Sua graça e misericórdia, chama o pecador ao arrependimento, à reconciliar-se.
Mateus 9.6: "Ora, para que saibais que o Filho do homem tem na terra autoridade para perdoar pecados (disse então ao paralítico): Levanta-te, toma a tua cama, e vai para tua casa".
- O Senhor Jesus Cristo pode perdoar os pecados; e esta é a Boa Nova de perdão: absolve-nos de nossas ofensas, dos pecados que cometemos contra Ele, desfazendo a inimizade e rebeldia contra Deus, fazendo a paz (Ef. 2.15).
- Deus está disposto a perdoar qualquer pecado, por maior que seja, pois não há pecado nem ofensa que Ele não perdoe; por isso, Deus enviou o Seu Filho Amado para nos dar o perdão, a todo aquele arrependido que O reconhece como único Senhor e Salvador.
João 14.27: "Deixo-vos a paz, a minha paz vos dou".
- Que conforto, que esperança em saber que temos paz em Cristo nosso Senhor. Ele veio para nos trazer o Seu Reino, o reino de paz e perdão; reconciliando-nos em Si mesmo.
Efésio 2.16: "E pela cruz reconciliar ambos com Deus em um corpo, matando com ela as inimizades".
- Os que serão de Deus, Ele os reconciliou matando a inimizade. A Sua obra perfeita nos é apresentada, onde Ele restaurará a paz com o homem.
- Para que houvesse a reconciliação com Deus, era necessário, primeiro, que recebessemos d'Ele o perdão pelas ofensas que cometemos.
- Deus, pela riqueza da Sua misericórdia e graça, enviou o Seu Filho Amado para que, por Ele, fossemos perdoados; não fazendo caso de nossas ofensas, de nossa inimizade, da desobediência e rebeldia para com Ele.
- Cristo não veio fazer uma obra que 'talvez' dê certo, não veio 'tentar' salvar o homem, nem esperar que 'aceitemos' a reconciliação. Ele veio realizar uma obra completa, a reconciliação definitiva, absoluta e eterna para com os Seus eleitos. A Sua obra é vitoriosa e não permite fracasso.
Mateus 18.11: "Porque o Filho do homem veio salvar o que se tinha perdido".
- Qual a esperança dos perdidos? Nenhuma! O que podiam fazer para se salvar? Nada! Algumas doutrinas afirmam que o homem pode voltar-se para Deus, que ele é capaz de se reconciliar com Deus. Mas a Palavra de Deus é claríssima: Ele veio salvar o que estava perdido! Ele não veio salvar o que estava 'quase' perdido, mas o que ESTAVA perdido.
- Nos estávamos perdidos neste mundo sem paz e sem Deus. Mas o Senhor Jesus veio para nos salvar, através do Evangelho da reconciliação e salvação.
Efésios 2.11: "Porque pela graça sois salvos, por meio da fé; e isto não vem de vós, é dom de Deus".
- Sois salvos! O tempo verbal não deixa dúvidas quanto à efetiva, completa e indubitável salvação. Poderíamos dizer: Pela graça fostes e estão salvos, e jamais se perderão, pois a salvação pertence a Deus (Jn 2.9).
João 5.24-25: "Na verdade, na verdade vos digo que quem ouve a minha palavra, e crê naquele que me enviou, tem a vida eterna, e não entrará em condenação, mas passou da morte para a vida. Em verdade, em verdade vos digo que vem a hora, e agora é, em que os mortos ouvirão a voz do Filho de Deus, e os que a ouvirem viverão".
- Pelo curso natural das coisas, nós passamos da vida para a morte; mas pela Palavra de Deus, passamos da morte para a vida!
- Cristo anuncia a salvação para os que ouvirem a Sua Palavra. Muitos dizem ouvir e aceitar as Escrituras, mas o seu coração está tão atormentado, a paz de Deus não penetrou neles; mas é fantástico quando o Senhor nos diz que os mortos ouvirão, e os que a ouvirem viverão.
- Ele nos apresenta o Evangelho da graça de Deus, o qual nos vivificou, nos fez vivos, quando estávamos mortos em nossas ofensas e pecados (Ef 2.1).
Lucas 1.30: "Disse-lhe, então, o anjo: Maria, não temas, porque achaste graça diante de Deus".
Lucas 4.22: "E todos lhe davam testemunho, e se maravilhavam das palavras de graça que saíam da sua boca; e diziam: Não é este o filho de José?".
- Cristo confortava os corações; proferindo palavras cheias de graça, de amor, de verdade, de sabedoria e paz que maravilhavam os que as ouviam, porque eram palavras provenientes de Deus.
- Maria foi escolhida por Deus para trazer ao mundo Aquele que nos daria a salvação. A graça de Deus não é dada por nenhum mérito próprio do agraciado, mas única e exclusivamente pela vontade de Deus àquele o qual Ele elege; é um favor imerecido àquele cujo único destino seria o castigo eterno.
João 1.14: "E o Verbo se fez carne, e habitou entre nós, e vimos a sua glória, como a glória do unigênito do Pai, cheio de graça e de verdade".
João 1.16: "E todos nós recebemos também da sua plenitude, e graça por graça".
- Cristo derramou sobre nós graça sobre graça, favores sobre favores, amor sobre amor para que todos nós fóssemos cheios da Sua plenitude.
- O Evangelho do Reino de Deus é o evangelho da graça. Aproximadamente 154 vezes a palavra graça é citada na Bíblia, porque o Senhor nosso Deus é cheio de graça.
Atos 15.11: "Mas cremos que seremos salvos pela graça do Senhor Jesus Cristo, como eles também".
- Tanto o judeu como nós seremos salvos pela graça!
- Não adianta fazer uma obra para se alcançar a salvação, porque a salvação é pela graça.
Romanos 3.24: "Sendo justificados gratuitamente pela sua graça, pela redenção que há em Cristo Jesus".
- Paulo mostra-nos claramente que a salvação e a justificação somente é possível pela graça de Deus, e jamais pelo valor ou mérito de atos humanos. Antes é a vontade de Deus, e não a vontade do homem.
Romanos 4.4: "Ora, àquele que faz qualquer obra não lhe é imputado o galardão segundo a graça, mas segundo a dívida".
- Alguns querem ser salvos pela graça e ao mesmo tempo fazer alguma obra para a salvação. Se eu mereço a salvação, então Deus não precisa me dar a Sua graça. Mas, se mereço a condenação (como todos nós, sem exceção, merecemos), Ele me dá a Sua graça e a Sua salvação, porque pela graça somos salvos!
Atos 18.27: "Querendo ele passar à Acaia, o animaram os irmãos, e escreveram aos discípulos que o recebessem; o qual, tendo chegado, aproveitou muito aos que pela graça criam".
- Somente pela graça de Deus podemos crer. Se Deus não tocar em nosso coração curando-o, jamais poderemos crer.
Romanos 5.18: "Pois assim como por uma só ofensa veio o juízo sobre todos os homens para condenação, assim também por um só ato de justiça veio a graça sobre todos os homens para justificação de vida".
- Bastou uma só ofensa (a de Adão no Éden) para que todos fossem condenados por um ato de justiça; mas pelo ato de justiça do Senhor Jesus Cristo na cruz do Calvário a graça veio sobre nós.
Romanos 6.15: "Pois que? Pecaremos porque não estamos debaixo da lei, mas debaixo da graça? De modo nenhum".
- O fato de sermos salvos não nos dá o direito de pecar, pois somos ainda mais devedores de Deus pela Sua graça que nos remiu do que se fosse possível obter a salvação por algum mérito próprio.
Efésios 1.7: "Em quem temos a redenção pelo seu sangue, a remissão das ofensas, segundo as riquezas da sua graça".
Efésios 2.7-8: "Para mostrar nos séculos vindouros as abundantes riquezas da sua graça pela sua benignidade para conosco em Cristo Jesus. Porque pela graça sois salvos".
- Os séculos vindouros mostrarão o quanto o Senhor nos encheu da Sua graça, pela Sua bondade para conoscos, nós que éramos seus inimigos, aqueles que O desprezavam e opunham-se ao Seu governo, vivendo dissolutamente, em pecado, praticando ofensas a Ele. Ainda assim, Ele enviou o Seu Filho Amado, Jesus Cristo, para livrar-nos da nossa sentença, dando-nos gratuitamente a Sua graça, salvando-nos e reconciliando-nos com Deus.
Porque pela graça fomos salvos, e isso não vem de nós, é dom de Deus, não vem das obras para que ninguém se glorie! (Ef. 2.8-9).

Reumo da mensagem pregada no T.B.B., em 17 Agosto de 2008
Todos os versículos são da Almeida Corrigida e Fiel da S. B. T. B. (ACF)

terça-feira, 26 de agosto de 2008

O EVANGELHO DO ARREPENDIMENTO

Pr. Luiz Carlos Tibúrcio

Mateus 9.35: "E percorria Jesus todas as cidades e aldeias, ensinando nas sinagogas deles, e pregando o evangelho do reino, e curando todas as enfermidades e moléstias entre o povo".
- O Senhor Jesus Cristo veio pregar o evangelho do Reino, trazer paz e salvação ao Seu povo, reconciliar-nos com Deus através da Sua graça, por meio do arrependimento.
- Cristo veio trazer-nos as Boas Novas do Reino de Deus, e as Boas Novas do arrependimento.
- É uma tendência que temos em fixar o nosso olhar no final do versículo, e ver o ministério do Senhor como apenas o ministério de cura; mas o fato principal é que Ele veio, fundamentalmente, trazer-nos a Sua graça, o Seu perdão, a restauração e arrependimento ao pecador.
- Cristo percorria todas as cidades, ensinando nas sinagogas e pregando o Evangelho do Reino. A proclamação da Palavra de Deus é para todos os povos, e para todas as pessoas, sem distinção. Este é o anúncio que Ele tem para todos, as Boas Novas do Reino, o Evangelho do Reino.
- A Palavra é muitas vezes pregada como um convite para se chegar ao Céu: "Venha para Jesus e vá para o Céu!". Queremos o Céu porque estamos preocupados com a morte, pois sabemos que morreremos. Nós vamos morrer, não importa a hora, nem o dia. Mas no Reino do Senhor não haverá doença, nem tristeza, nem aflição, nem a morte!
- O Evangelho é pregado como um convite, da seguinte forma: "Olha venha para Jesus, pois Ele lhe dará uma morada no Céu. Aceite Jesus e viva eternamente no Céu".
- As moradas são para serem habitadas; ninguém constroe uma morada para que ela fique deserta. Por isso, o Senhor disse: "Não se turbe o vosso coração; credes em Deus, crede também em mim. Na casa de meu Pai há muitas moradas; se não fosse assim, eu vo-lo teria dito. Vou preparar-vos lugar" (Jo 14.1-2). Mas a pregação de Cristo e dos Seus discípulos não é uma pregação para se chegar ao Céu, mas a pregação do Evangelho é a de reconciliação com Deus, que o pecador seja restaurado.
- O Evangelho é o chamado de Deus para que o homem, o qual está morto em suas iniquidades, separado d'Ele, reconcilie-se com o seu Senhor. E para que isso aconteça é necessário que o pecador arrependa-se, e então, receba o perdão divino.
Lucas 3.8: "Produzi, pois, frutos dignos de arrependimento, e não comeceis a dizer em vós mesmos: Temos Abraão por pai; porque eu vos digo que até destas pedras pode Deus suscitar filhos a Abraão".
- João o Batista está pregando o Evangelho do Reino. Os religiosos da época aproximaram-se dele dizendo-se filhos de Abraão, os filhos da promessa. Porém, João está-lhes dizendo: Não digam isso! Produzi pois frutos de arrependimento.
O Evangelho nos é dado para que consideremos em tudo a Verdade de Deus.
Lucas 5.32: "Eu não vim chamar os justos, mas, sim, os pecadores, ao arrependimento".
- Eu não sei quanto aos irmãos, mas este versículo traz um conforto ao meu coração, pois sei quem sou: um mísero pecador, imperfeito. João lhes dizia mais ou menos o seguinte: Parem de dizer o que vocês julgam ser, mas produzi frutos dignos de arrependimento. Porque a árvore boa da frutos bons, a árvore má dá frutos maus, e cada árvore se conhece pelos frutos que produz, segundo a sua natureza, e é chegada a hora de que vocês produzam um fruto: o de arrependimento.
- O Evangelho que tem sido pregado é o "venha para o Céu". Mas o Evangelho verdadeiro a ser pregado é o "reconciliai-vos com Deus e Ele se apiedará de vós".
- Cristo não veio chamar os justos, e graças a Deus por Ele ter vindo nos chamar, nós, pecadores. - O Evangelho nos diz para darmos frutos de arrependimento, não nos enganando com falsas justificativas, nem falsas promessas, acreditando que é possível obter a reconciliação com Deus, e sermos perdoados e salvos por mérito próprio.
Lucas 24.47: "E em seu nome se pregasse o arrependimento e a remissão dos pecados, em todas as nações, começando por Jerusalém".
- Arrependimento é completamente diferente de remorço ou a sensação de culpa, o medo por um castigo.
- O Senhor Jesus Cristo nos chama para algo muito maior, o qual é uma vida de relacionamento com Deus.
- Há uma obra a se realizar em nossas vidas por Deus, antes de nos reconciliarmos com Ele; uma obra que Ele produzirá em nós antes de irmos ao Céu: os frutos de arrependimento! Os quais nos mostrarão o quanto estamos distantes do Senhor; o quanto Ele é bom e compassivo; o quanto é misericordioso e longânimo para com nossos pecados e faltas.
Atos 5.31: "Deus com a sua destra o elevou a Príncipe e Salvador, para dar a Israel o arrependimento e a remissão dos pecados".
- Cristo foi elevado por Deus para dar arrependimento e a remissão dos pecados a Israel. Portanto, Deus é quem nos dá o arrependimento; é somente Ele quem nos dá o verdadeiro e genuino arrependimento.
- Enganosamente, acreditamos que somos merecedores da graça de Deus, acreditamos que somos injustiçados quando não recebemos aquilo que julgamos merecer, ou quando passamos por lutas e dificuldades, as quais igualmente julgamos não merecer.
- O Senhor veio para ser Príncipe e Salvador, e dar-nos arrependimento.
Atos 26.20: "Antes anunciei primeiramente aos que estão em Damasco e em Jerusalém, e por toda a terra da Judéia, e aos gentios, que se emendassem e se convertessem a Deus, fazendo obras dignas de arrependimento".
- O mesmo chamado que Deus tem para os judeus é o mesmo chamado que tem para os gentios; e os gentios são aqueles que não são judeus. É um só chamado para que todos se emendem, para que não insistam na prática ou práticas que desagradam e são abomináveis ao Senhor.

- Converter a Deus é voltar do caminho que nos mantém longe d'Ele. É abandonar o caminho que nos conserva em rebelião e oposição a Deus, é voltarmos para Deus, quedando-nos aos Seus pés submissos.
- Antes de habitarmos nas mansões celestiais é necessário que nos reconciliemos com o Senhor, e voltemo-nos para Ele.
- De quê eu preciso me arrepender?
2 Coríntios 7.10: "Porque a tristeza segundo Deus opera arrependimento para a salvação, da qual ninguém se arrepende; mas a tristeza do mundo opera a morte".
- É maravilhoso quando, através das Sagradas Escrituras, eu me vejo descoberto diante do Senhor, porque a tristeza segundo Deus, causada pela Sua santa Palavra, a qual revela a minha iniquidade, a minha natureza caída, os meus pecados, opera vida em mim, pela revelação do Seu Filho Amado, Jesus Cristo nosso Senhor.
- Graças a Deus pelos que se angustiam e se entristecem quando são confrontados pela Sua Palavra. Porque chegará o dia em que então veremos o fim, e, talvez, nesse dia, não será mais possível o arrependimento, mas haverá um tempo de expectativa de condenação.
- Quando descubro na Palavra a vara da correção do Senhor, sei que Ele me ama. É um conforto saber que somos corrigidos por quem nos ama, ao contrário de o sermos por quem nos odeia.
2 Timóteo 2.25: "Instruindo com mansidão os que resistem, a ver se porventura Deus lhes dará arrependimento para conhecerem a verdade".
- Quando a Palavra nos traz tristeza e temor, podemos crer que Deus está operando em nosso coração os frutos de arrependimento.
- Paulo exorta Timóteo a ensinar a Palavra de Deus com mansidão, com paciência; porque, ainda que eles estejam resistindo à Palavra, ensine-os com amor para que Deus lhes dê o arrependimento, segundo a Sua vontade santa.
- Quando sinto a tristeza do meu pecado, e clamo ao Senhor por Sua misericórdia, Deus colocará em nossos corações os frutos verdadeiros.
- Ao pregarmos o arrependimento, parece que pregamos uma mensagem triste, ledo engano, pois pregamos uma mensagem alegre, de júbilo, a qual trará a restauração de nossas vidas, e a comunhão com Deus, através do Seu perdão em Cristo nosso Senhor.
Lucas 15.7: "Digo-vos que assim haverá alegria no céu por um pecador que se arrepende, mais do que por noventa e nove justos que não necessitam de arrependimento".
- Sabe de uma coisa, o Céu é um lugar alegre, não apenas alegre, mas repleto de uma alegria verdadeira, porquanto o Céu é o lugar de perfeição.
- O salmista disse que tudo era limitado, as artes, as construções, as obras e feitos humanos, mas os mandamentos do Senhor são ilimitados, porque são perfeitos.
- Mas ainda que seja um lugar alegre, um lugar de felicidade, quando um pecador se arrepende há ainda muito mais alegria no Céu.
- Quando há um arrependimento e uma conversão verdadeira, essa pessoa está trazendo alegria ao lugar infinitamente perfeito e plenamente jubiloso.
- O salmista diz: quem é o homem para que o Senhor se lembre dele? (Sl 8.4). Podemos fazer uma analogia: quem é o homem para que Deus se alegre com ele? Mas sabemos, pela Palavra de Deus, que o Senhor se alegra com o arrependimento de um pecador.
Atos 11.18: "E, ouvindo estas coisas, apaziguaram-se, e glorificaram a Deus, dizendo: Na verdade até aos gentios deu Deus o arrependimento para a vida".
- Deus se alegra com o arrependimento do pecador, mas os cristãos também se alegram com isso.
- Há algo melhor do que o dia da nossa conversão? E ter o coração cheio da alegria de Deus? Há, sim, meus irmãos! Quando vemos alguém perdido, apartado de Deus, converter-se, dobrar os joelhos diante do Senhor e reconhecê-lO como único e suficiente salvador. Não existe alegria maior quando vemos um pecador arrependido, nascido de novo; que como nós estava sem a alegria do Céu, e agora tem a felicidade de Deus em seu coração.
- Esta é uma alegria que não pode ser comprada, nem obtida por nenhum esforço humano, mas somente ser recebida pela fé em Jesus Cristo nosso Senhor.
Romanos 2.4: "Ou desprezas tu as riquezas da sua benignidade, e paciência e longanimidade, ignorando que a benignidade de Deus te leva ao arrependimento?".
- Paulo fala firmemente que, o arrependimento é fruto da bondade de Deus. Mesmo quando transgredimos, o Senhor continua a nos alimentar, a nos dar saúde, cuidar dos nossos queridos, tudo por Sua imensa misericórdia.
- É o caso de Davi e Betseba. Confrotado pelo profeta Nathan diante do pecado de ter adulterado com Betseba, e ainda por cima, tramado e planejado a morte do marido dela, Urías, ele confessou: contra o Senhor pequei! Somente contra Ti pequei! E fiz mau à Sua vista (Sl 51.4).
- O favor de Deus nos leva ao arrependimento. Mesmo em nossas transgressões, Ele, em Sua misericórdia nos chama a um lugar de arrependimento, como fez com Davi; e como ele, nos chama ao lugar de arrependimento.
- Que bom seria se todos vivéssemos em paz. Mas, mais importante do que a paz neste mundo, é voltarmo-nos para Deus e reconciliarmo-nos com Ele, o qual nos criou, e mesmo em nossa rebeldia, tem cuidado de nós.
Voltando a Mateus 9.35:
- A primeira enfermidade e a maior moléstia que temos, a qual é necessário que Deus nos cure, é a nossa inimizade com Ele.
"Produzi, pois, frutos dignos de arrependimento"!

Resumo da mensagem pregada no T.B.B., em 10.08.2008
Todos os versículos são da Almeida Corrigida e Fiel da S. B. T. B. (ACF)